João Pessoa, 21 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Meditação da volta

Comentários:
publicado em 31/03/2012 às 07h29
A- A+

Quando voltar da Índia, o governador Ricardo Coutinho terá muitos problemas de ordem política pra exorcizar. A começar pelas brasas do “Volta Agra” que insistem em queimar com todo fulgor. A operação, na ausência do líder girassol, ficou claríssima. O movimento é crescente e se não administrado pode causar abalos.

 Ao desembarcar na Paraíba, Ricardo deve se preparar para começar a ouvir o que ainda estava somente nos sussurros dos bastidores. Há pétalas dos girassóis revestidas de disposição para defender abertamente a ressurreição da candidatura do prefeito Luciano Agra como a mais consistente opção do PSB em João Pessoa.

Ricardo vai ter que conviver com esse labirinto e encarar uma realidade que talvez não esteja tão acostumado a vivenciar. Criaturas reconhecidamente forjadas pela estrutura e aval dele voltadas contra os dogmas do criador e responsável direto pela assunção dos que hoje se insurgem contra sua liderança.

 De fato, não é uma situação das mais confortáveis porque inevitavelmente exalará além dos limites do jardim. O iminente enfrentamento aponta sérios riscos ao projeto do PSB na Capital, caule político do grupo que ascendeu ao poder central do Estado. Das duas, uma: Ricardo chuta o pau da barraca e compra a briga ou trará de sua passagem pela Ásia o incenso do convencimento.

Rachaduras –
Já está quase impossível a convivência de certos subgrupos do PSB. É verdade que sempre houve facções, mas todas mantinham obediência aos desígnios do centro.

De uns tempos pra cá –
Feito a canção do catolaico, tem pétala cantando: “Coisas só são coisas, servem só pra tropeçar, tem seu brilho no começo, mas se viro pelo avesso, são fardo pra carregar".

O parecer de Maranhão –
O ex-governador José Maranhão (PMDB) ignorou três acórdãos do TCE que atestam a regularidade do pregão presencial, licitação e contrato do Jampa Digital. Para o peemedebista, a operação não passou de um acordo de amigos e por isso os contratantes não exigiram a prestação do serviço da contratada (Idéia Digital).

Denúncias foram feitas em 2009  –
O TCE se pronunciou três vezes acerca de denúncias feitas à época da licitação por Sérgio Henrique Gouveia, Rogério de Souza Castro e Alex Júnior Gomes. Os denunciantes alegaram direcionamento e impossibilidade de concorrência.

TCE referendou processo em 2011 –
Antes, por recomendação do TCE, a Prefeitura cancelou o pregão e realizou nova licitação. O processo passou depois pelos crivos das Divisões de Auditoria e Contratos e de Licitações e 1ª Câmara, instância que julgou o procedimento regular.

Frio na barriga –
Ontem, o clima foi de frisson e expectativa entre os principais candidatos à Prefeitura de Campina Grande para a divulgação da pesquisa Consult na edição de hoje do Correio.

Previdente –
O deputado Guilherme Almeida (PSC) amorteceu números desfavoráveis. “A pesquisa ainda não reflete as urnas. Cada candidato terá oportunidade de apresentar propostas”.

Portfólio –
A pré-candidata Tatiana Medeiros (PMDB) confia que o seu trabalho à frente da Secretaria de Saúde refletirá bem nos números da sucessão do prefeito Veneziano Vital.

Rílex –
A deputada Daniella Ribeiro (PP) manteve a fé. Ao repórter Carlos Sousa (da Correio Sat), a pepista disse não temer surpresas em relação ao seu desempenho na pesquisa.

Ponte aérea –
O secretário Gilson Lira desembarcou na madrugada de hoje depois de uma semana de contatos em São Paulo. Fechou patrocínios de peso para o “Maior São João do Mundo”.

Afinação –
O deputado Luciano Cartaxo tenta afinar o tom. “Eu não quero ser candidato de uma banda do PT”. Difícil é juntar todos os instrumentistas dessa barulhenta orquestra.

Desmistificando –  
José Guilherme, secretário de Habitação, contacta a Coluna para esclarecer sobre a data escolhida de entrega do modelar Conjunto Anayde Beiriz, alvo de várias especulações.

Veio de cima –
“Toda a agenda é determinada pela Caixa e Casa Civil. Nós pleiteamos a mudança para 14 (abril) e não obtivemos êxito”, pontuou o eficiente auxiliar, que tem fé de ofício.

Mau exemplo –
Um (ou uma) dos indicados para assumir a secretaria federal da Pesca na Paraíba construiu casa numa ilha de açude do interior. A Coluna voltará ao tema com detalhes.

Balaio de gatos –
O PTB segue sua tradição. O presidente Armando Abílio defende Nonato, o vereador Pedro Coutinho quer apoio pra Estelizabel e Tavinho Santos quer ser vice de Cícero.

PINGO QUENTE – “O PP estará de portas abertas”. Do presidente da Câmara e do PP de João Pessoa, Durval Ferreira, que sempre deixa uma janela escancarada para composições políticas de toda ordem.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também