João Pessoa, 26 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 04:30 - 2.6 | 10:41 - 0.0 | 16:58 - 2.6 | 23:00 - 0.1 Dólar 3,26 - Euro 3,64

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Desde 1993 exerce as funções de Diretor Executivo da AETC-JP. Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

PMJP, Gov/PB e a falésia do CB

Comentários:
publicado em 14/05/2012 às 16h40
A- A+

Merece especial atenção tanto da Prefeitura de João Pessoa quanto do Governo do Estado a reportagem publicada no recente domingo, 13 de maio, no jornal Correio da Paraíba, destacando: “Ponto mais oriental das Américas ameaçado em JP – Barreira pode sumir em 20 anos – Erosão deve recuar até 40 metros da falésia do Cabo Branco – Intervenção precisa ser feita para conter desgaste”.

Em 22 de fevereiro de 2010, ou seja, há dois anos e quase três meses, aqui no Correio da Paraíba, assinamos artigo de título “Barreira do CB: 40 cm/ano!”. E já naquele texto dizíamos:

– “Que capa deslumbrante a da revista Tribuna de novembro de 2009!… Que paisagem belíssima focando a orla de João Pessoa, com realce para o Farol do Cabo Branco! Como essa paisagem enche de auto-estima cada amante desta cidade!… Mas, de outro lado, ao fixarmos nossos olhares para a capa/foto da barreira do Cabo Branco, a barreira propriamente dita, que medo sua imagem provoca-nos, porquanto ela se mostra tão frágil, parecendo não suportar mais alguns anos sem que nela haja, urgentemente, uma intervenção para agüentar, sem quedas, as batidas do mar!”.

Também dizíamos: – “Em comecinho de 1980, no jornal O Norte, o inesquecível jornalista Nathanael Alves escreveu crônica focando esse tema da barreira do Cabo Branco. São trinta anos já passados!”.

E agora atualizamos: são trinta e dois anos já passados!

Já em fevereiro de 2010 chamávamos a atenção para o seguinte: “Como os especialistas dizem que a cada um ano perdemos 40 cm dessa barreira, significa que nestes últimos trinta anos já perdemos 12 metros.” E, sob essa mesma invasão do mar, corresponde que de 2010 para cá já perdemos mais quase um metro!

Naquele mesmo artigo de 2010, porém, exaltávamos a iniciativa que tivera a Prefeitura de João Pessoa em 2007, mais exatamente no dia 5 de julho, assinando, por seu então prefeito Ricardo Coutinho, convênio pelo qual garantia o envolvimento de 20 profissionais biólogos, antropólogos e oceanógrafos, entre outros pesquisadores, para realizarem o estudo de impacto ambiental necessário à definição do projeto com vistas à retenção do avanço do mar sobre a barreira do Cabo Branco. Temos notícia de que esses estudos já foram concluídos, incluindo a indicação das ações necessárias a que tenhamos preservado, aqui em João Pessoa, o ponto mais oriental das Américas.

O que ainda estaria faltando para vermos concretizados esses nossos sonhos de termos a barreira do Cabo Branco preservada?!…

A foto da barreira do Cabo Branco inserida, colorida, na reportagem do Correio da Paraíba do domingo 13 de maio, leva qualquer dos amantes desta cidade à tristeza, tal sua deformação e indicação do quanto tem sido atingida com o avanço do mar!

Por isto, imaginamos que neste espaço representamos a voz de todos estes amantes, amantes da cidade de João Pessoa e da Paraíba, clamando à Prefeitura e ao Governo do Estado para juntos priorizarem o projeto protetor da falésia do Cabo Branco, dando-lhe urgência urgentíssima… pra já, pra começar ainda neste ano! E assim evitarmos que em breve nem mais tenhamos o Farol do Cabo Branco… evitarmos que em seu lugar, aliás, evitarmos que mais recuado instale-se um outro farol, este para mostrar que perto dali era o ponto mais extrema das Américas!
 

Leia Também

error: Conteúdo protegido!