João Pessoa, 20 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de vice-presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Encontros do Encontro

Comentários:
publicado em 10/09/2012 às 11h04
A- A+

Permita-nos, leitor(a), reportar-nos aos encontros de um Encontro que o Brasil todo, tanto dos católicos quanto dos evangélicos, conhece-o como ECC – Encontro de Casais com Cristo, que aqui em João Pessoa iniciou-se em começo dos anos 80.

E quando nos referimos a esse Encontro, que seus dirigentes fazem questão de evidenciar tratar-se de um serviço (e não um movimento) da Igreja tendo por objetivo maior a evangelização das famílias, não podemos esquecer nem devemos deixar de mencionar o nome daquele que foi o principal responsável por sua concretização nesta cidade: padre Juarez Benício, carinhosamente por tantos chamado, sempre, de “Padre Juju”, que já está no céu.

Também nos cabe pedir a compreensão dos demais dirigentes espirituais do ECC por, de vez em quando, repetirmos essa evidência, porquanto “Padre Juju” igualmente ser reconhecido como aquele que foi o mais dedicado e comprometido com esse serviço. Cabe ainda, no entanto, e isto para evitar comparações desproporcionais, lembrar que padre Juarez não coordenava qualquer Paróquia, tendo a integralidade de seu tempo para atuar como professor universitário, assistir idosos e internos em hospitais, além, claro, de cuidar do ECC, do EJC (Encontro de Jovens com Cristo) e outros serviços ou movimentos de sua cria, como o SEGUE-ME e o ECRI, voltados para adolescentes e crianças, respectivamente.

Tanto quanto o Encontro de Casais com Cristo, em si mesmo, são de igual modo marcantes, na e para a vida de tantos casais, os outros encontros, encontros eventuais, encontros para um “bate-papo”, entre as pessoas que já se encontraram no ECC. São revitalizadores do caminho do bem, caminho da amizade, da fraternidade!…

Neste final de semana, por exemplo, houve um desses encontros, em que em que nós (eu e minha esposa Ana) estivemos com os casais Zita/Rinaldo Galvão e Aureni/João Rodrigues em um “bate-papo” que preponderou, como assunto, o ECC, mas ambientado por esse sentimento de uma amizade fincada na fé cristã. Como gratificante é! E foi nesse encontro que lembramos, com muito carinho, o “Padre Juju”, especialmente quando avaliávamos o ECC do início de sua história aqui em João Pessoa e o ECC de agora.

Por que, nessa avaliação, entendíamos que o ECC de antes foi bem mais ativo, realizador, confraternizador, reunidor de muito mais gente e em muito mais eventos (Encontros, Reencontros, Domingões e até Congressos) do que atualmente?

– Nossa resposta, consensual, foi a de que no passado havia “Padre Juju”, praticamente com exclusividade para o ECC, consensuando, também, que mesmo todos admitindo que o Encontro de Casais com Cristo deve ser um serviço coordenado por casais, se não houver um dirigente espiritual muitissimamente comprometido com ele… não haverá aquela dinamização, aquele ativismo, aquele ambiente de famílias incentivando famílias e os princípios cristãos necessários a qualquer família, como nos tempos de padre Juarez!…
 

Leia Também