João Pessoa, 23 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de vice-presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

ECC, exemplo de boa vontade

Comentários:
publicado em 17/09/2012 às 09h44

Em tudo, para dar certo, bem certo, tem-se de fazer com boa vontade. E se se trata de um trabalho coletivo e voluntario, aí, sim, além de muita boa vontade precisa haver uma competente coordenação geral.

Estes aspectos, porém, se sozinhos, podem não obter o resultado satisfatório que se precisa alcançar. Quer dizer: com competente coordenação geral e boa vontade, mesmo assim outros itens precisam ser levados em conta, como, por exemplos, uma equipe para trabalhos de secretaria, outra para compras, outras para preparar refeições (cozinhar e disponibilizar “cafezinho”), limpar e ordenar ambientes etc.

Há realizações (envolvendo este trabalho coletivo e voluntário) que, como no caso específico do ECC (Encontro de Casais com Cristo), correspondem principalmente a eventos, que funcionam como uma espécie de retiro ou seminário. E, desse modo, desses eventos constam – e devem constar – apresentações, palestras, exibições em forma de sociodramas, cânticos e mensagens outras especiais com os mais diversos focos. Por isso, essas realizações ou eventos exigem que dela(e)s também façam parte pessoas ou grupos responsáveis para atuarem como apresentadores e como encarregados das liturgias, e até para vigílias de oração, além, claro, de outras pessoas que possam fazer visitações para articularem-se com os convidados. Se todos esses aspectos não estiverem conjugados, grupos para cânticos e para som e projeções ficariam sem sentido. Tudo é – e deve ser – um conjunto. Aliás, lembra aquela lição bíblica de que, em missão cristã, nenhuma parte é mais importante do que a outra, porque todas compõem um só corpo.

Em João Pessoa já são uns cinco mil casais os integrantes do ECC, no conjunto de suas diversas paróquias. Se extrapolarmos os limites pessoenses, estendendo-os para toda a Paraíba, certamente já alcançamos uns dez mil casais. Qualquer desses casais, se tiver a oportunidade de ler este artigo, logo vai assimilar e compartilhar com nosso entendimento de que o ECC é um importante serviço da Igreja que tem renovado e fortalecido os valores cristãos nas vidas das famílias.

Assimilam também que, através deste artigo, estamos a apontar realizações recentes de alguns ECCs entre nós, como o ocorrido neste final de semana, promovido pela Paróquia Nossa Senhora das Neves. E, neste instante, neste espaço, a vontade é a de mencionar os tantos casais que atuaram no acolhimento aos novos casais. Impossibilitados de citar todos, fazemo-lo, homenageando-os, no nome do casal Guilherme/Iara, exemplo máximo de boa vontade!
 

Leia Também