João Pessoa, 21 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de vice-presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

A charge de “A Semana”

Comentários:
publicado em 15/10/2012 às 12h05

A revista A Semana, óbvio, é um semanário que, estando em sua 676ª edição, já extrapola 13 anos de circulação. E a charge desta semana, em “A Semana”, já há algum tempo trazendo a assinatura deste paraibaníssimo “pintor e desenhista” Flávio Tavares, apresenta as caricaturas de Luciano Agra e de Cícero Lucena, ambos em trajes de boxeadores, cada qual com vestes nas cores de seus respectivos partidos, cumprimentando-se através do toque das luvas e como a anunciarem o 2º “round”… quer dizer: o 2º turno das eleições para prefeito de João Pessoa, que tem os dois como disputantes. E a frase, na charge, atribuída aos dois, é a seguinte: “Vamos à luta. Nada de golpe baixo!”.

As charges, conceitualmente, são representações caricaturais em que se satirizam fatos específicos, geralmente políticos e que são do conhecimento público. Mas, em vez de evidenciarem só sátiras ou zombarias, elas – as charges – também podem representar um chamamento, uma esperança, uma lição para que as pessoas nelas demonstradas possam caminhar na direção por elas apontadas!

Nossa conclusão pessoal, em relação à charge de Flávio Tavares, sobretudo por ter a assinatura deste extraordinário artista e insigne cidadão, é a de que tenha essa conclamação para que Luciano e Cícero, em suas ações de campanha dentro deste processo do 2º turno, enfrentem a luta de forma digna, principalmente cada um em relação ao outro, sem “nada de golpe baixo”!

Os pessoenses, durante as eleições do 1º turno, os escolheram como os dois mais votados, deixando, pois, Luciano e Cícero como os “sobreviventes” para o 2º turno. E esta escolha não pode ser decepcionada. Em outras palavras: nem Luciano nem Cícero podem decepcionar os eleitores de João Pessoa que os consagraram para ainda serem votados no próximo dia 28. Nem Luciano nem Cícero podem decepcionar os pessoenses com uma campanha de baixo nível, ou, como disse Flávio Tavares, “de golpe baixo”.

“É necessário respeitar a inteligência da população e o direito de escolher um dos dois vencedores que ficaram para o segundo turno” – frase do jornalista Jorge Rezende, na “Carta do editor” de “A Semana” desta semana. E ainda com palavras do mesmo jornalista concluímos estes escritos: “Deixemos o povo votar. Deixemos a população da cidade de João Pessoa escolher, de forma democrática, entre os dois projetos escolhidos pela maioria dos habitantes por meio do voto, no último dia 7 de outubro”.

Leia Também