João Pessoa, 24 de abril de 2017 | --ºC / --ºC 02:39 - 2.4 | 08:43 - 0.3 | 14:56 - 2.5 | 21:02 - 0.1 $ Dólar 3,12 - € Euro 3,39

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Abaixo o retrovisor

Comentários:
08/07/2013 às 16h51
A- A+

Não esperei nem o desfecho da demorada e por isso mesmo esperada audiência finalmente ocorrida ontem entre o governador Ricardo Coutinho e o prefeito Luciano Cartaxo, relocada do Palácio da Redenção para a Granja Santana, pra comentá-la. Se não tivesse rendido nada, só o encontro em si já é um fato a merecer análise.

É sinal de que acabou o tempo em que adversários políticos levavam ao poder e até as últimas conseqüências o poço de mágoas, ressentimentos e diferenças pessoais, sentimentos mesquinhos e provincianos responsáveis pelo entrave do mínimo contato e relação protocolar/institucional, requisito básico aos homens públicos.

Os dissabores políticos são próprios dos embates eleitorais e das naturais e salutares divergências partidárias. É inconcebível que cidades, comunidades e populações sejam penalizadas pelo mau humor, senas acumuladas e divergências pessoais de agentes políticos revestidos da tarefa de ação e promoção do bem coletivo.

A Paraíba, esse estado pobre de receitas e de oportunidades para seus filhos, já perdeu muito por conta da miudeza e mediocridade de nossos eleitos. Perdeu tanto que levará muito tempo e infinitos esforços para conseguirmos correr atrás dos prejuízos, ajustar a rota e, finalmente, subir no bonde do desenvolvimento.

Pouco a pouco, a Paraíba começa a viver uma nova etapa administrativa. Ainda lenta pelo movediço terreno que a nossa cultura política insiste em pisar, mas com registros de pequenos e notáveis avanços. Ricardo e Cartaxo, frutos dessa nova fase da história paraibana, têm nos ombros a responsabilidade inadiável de pensar e agir diferente. A Paraíba, João Pessoa e as gerações futuras merecem. E agradecem.

Ambiente  – Auxiliar do governador confidenciou à Coluna: a decisão de transferir a audiência do cerimonioso Palácio da Redenção para a reservada Granja Santana teve o objetivo de tornar a conversa menos formal.

Embrião – O primeiro avanço na relação Governo/Prefeitura se deu na Saúde, quando os secretários Waldson Souza e Adalberto Fulgêncio pactuaram pagamento de débitos e acordo nos repasses ao Estado.

Cultura: visões distintas – Antes da audiência Ricardo e Cartaxo conflitaram na imprensa suas visões à cerca da política cultural na programação de São João. Coutinho: “Eu acho que precisamos ter respeito e construção com nossa cultura. Isso não quer dizer que vá dispensar quem quer que seja. Disponibilizar ao povo o que o povo não vê nos grandes veículos de comunicação…”.

Pra todos – Cartaxo: “Não dá pra esconder que o São João de João Pessoa foi um sucesso. O povo sabe disso. É outra proposta. Um São João que respeita o povo. Não é festa de amigos. Mudou radicalmente e pra melhor”.

Pingo nos Is – O desembargador Luiz Sílvio Júnior, do TJ, divulgou Nota de esclarecimento ontem sobre a Prestação de Contas Anual do Fundo Especial do Poder Judiciário (FEPJ), referente ao exercício do ano 2010.

Detalhes – Eis trechos da dita Nota: “Os recursos foram integralmente utilizados para o pagamento das respectivas verbas indenizatórias, cujos beneficiários foram em sua totalidade servidores do Poder Judiciário do Estado…”.

Diferenciação  – “… A ressalva da Corte de Contas (…) cinge-se a apontar que a fonte pagadora para o desembolso das verbas indenizatórias não deve ser o FEPJ, e que o Poder Judiciário utilize de recursos próprios para reembolsar…”.

Arremate – “… O respectivo valor ao seu Fundo Especial. Inexiste, condenação deste magistrado à devolução de valores utilizados irregularmente. Ao contrário, o TCE é peremptório ao decidir que são regulares as contas examinadas”.

Pé no chão – Do vice-governador Rômulo Gouveia (PSD), pré-candidato ao Senado: “Tenho colocado meu nome como até pelo apoio que tenho do meu partido, das lideranças, mas entendendo que ainda é muito cedo”.

Reincidência  – O cancelamento da audiência pública da Aneel anteontem em João Pessoa para debater queixas no setor de energia elétrica não foi um fato isolado. O mesmo se deu no Piauí e Maranhão dia 28, e ontem em Alagoas.

Sede – Até ontem à tarde, a direção da Cagepa ainda não tinha resolvido a falta d´água em parte do bairro de Mangabeira, o mais populoso de João Pessoa. Moradores denunciam que o problema persiste há uma semana.

Guardiões  – Imprescindíveis aos gestores públicos, os contabilistas paraibanos dão seqüência hoje, no Hotel Litoral, ao seu VIII Simpósio, iniciado ontem. A coordenação do evento é de Genilsa Barros, apoiada por Hayley Misael.

Digitais – A Administração Penitenciária e a OAB vão investigar quais são os advogados que estariam recebendo dinheiro de facções criminosas, conforme revelações contidas num “estatuto” achado no Presídio do Róger.

PINGO QUENTE – “Nas unidades prisionais quem manda é o Estado”. Do secretário de Administração Penitenciária, Válber Virgolino, mesmo diante da realidade do crime agindo de dentro das cadeias da Paraíba.

*Reprodução do Correio da Paraíba, edição do dia 06/07/2013 (sábado)

Leia Também

CONTRA-ATAQUE

Ricardo Coutinho repudia ‘tapetão’ do PMDB e afirma que rivais estão desesperados

Não esperei nem o desfecho da demorada e por isso mesmo esperada audiência finalmente ocorrida ontem entre o governador Ricardo Coutinho e o prefeito Luciano Cartaxo, relocada do Palácio da […]