João Pessoa, 24 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Sangue no olho

Comentários:
publicado em 24/07/2013 às 16h20

Quem pensou que o governador Ricardo Coutinho amofinaria diante do bombardeio midiático gerado após o desfecho do inquérito do Jampa Digital, apostou errado. Ricardo manteve a característica de não fugir do debate, não se esconder de denúncias, e nem tergiversar. Fez o que poucos políticos têm coragem e mais uma vez optou pelo seu estilo de enfrentamento aos poderosos.

O poderoso da vez, segundo duro pronunciamento do governador ontem em cadeia estadual, atende pelo nome de Eduardo Carlos, dono do Sistema Paraíba de Comunicação, acusado por Ricardo de ser o mentor de uma campanha permanente contra sua gestão e reputação, desde o primeiro dia de governo.

Foi o Fantástico, da Rede Globo, cuja afiliada aqui no Estado pertence ao conglomerado do Sistema, quem primeiro levantou suspeitas no Jampa Digital, projeto gestado na administração de Ricardo na Prefeitura. Foi a mesma Globo quem também voltou no fim de semana a abrir generoso espaço na sua grande para colocar o governador na parede.

Durante seu programa semanal de rádio, o socialista disse ter se transformado em alvo do tal grupo de comunicação por não ceder a pressões comerciais e por cortar privilégios concedidos em sucessivos governos. Não precisou dizer, mas ficou implícito também o caso das dívidas de ICMS do São Braz, perdoadas no Maranhão III.

Em resumo, ao invés de acordo e entendimento, como faria qualquer político tradicional para se auto-blindar e livrar-se da dor de cabeça de ter um inimigo com acesso direto à poderosa TV Globo, Ricardo preferiu enfrentar a fera, mesmo sabendo que daqui pra frente, ao tornar pública essa briga até então subterrânea, deve arcar com um preço mais alto que a publicidade cobrada a peso de ouro pelo Sistema Paraíba.

De frente – “Eu faço questão de entrar nesse tema. Eu não fujo de debate e aprendi a não fugir de acusações, principalmente as acusações falsas”, vociferou o governador Ricardo ontem, se dizendo disposto a enfrentar o assunto.

Questionamento – “Nenhum depoente toca sequer no nome Ricardo Coutinho. Isso é uma coisa bastante grave. Como é que ninguém toca no meu nome e meu nome sobe para o noticiário nacional”, indagou o governador.

Rômulo vai falar – O vice-governador da Paraíba, Rômulo Gouveia (PSD), autor da emenda do Jampa Digital, indiciado pela Polícia Federal, se manteve silente até ontem. Hoje, às 11h, ele quebra o silêncio em entrevista coletiva na sede da Associação Paraibana de Imprensa. Vai dizer que quando apresentou a emenda sequer sonhava ser vice na chapa de Ricardo, até então adversário.

Manipulação – Em nota, o PSB também mirou Eduardo Carlos, acusando o Sistema Paraíba de Comunicação de manipular pesquisas na eleição de 2010 para prejudicar o então candidato ao Governo, Ricardo Coutinho.

Perdão – “O que é estranho é que o grupo empresarial comandado pelo empresário Eduardo Carlos tinha uma dívida de mais R$ 7 milhões que foi perdoada no final do Governo Maranhão”, relembrou o texto do PSB.

Fatura – Foi Ricardo, já como governador, que teve a coragem de cobrar o que era do povo”, acentuou a nota, suscitando nas entrelinhas o episódio como um dos motivadores da crise entre as empresas e o governo do PSB.

Arremate – “O Ministério Público é o caminho de uma investigação clara, democrática e objetiva. Nada temos a temer. A verdade vencerá”, encerra o texto da nota, sem economizar em acusações e adjetivos contra o conglomerado.

Sem trégua – “Nunca um governo foi tão metralhado e combatido como o de Ricardo Coutinho. A oposição não dá trégua”, desabafou ontem o secretário chefe de Governo e deputado estadual licenciado, Adriano Galdino (PSB).

Cautela – Conhecido pelo ímpeto bélico, o líder da oposição, Anísio Maia (PT), preferiu agir e falar com parcimônia ao comentar o caso. “Cabe a nós tomarmos medidas necessárias, mas a luz do que consta na denúncia”, pregou.

Repúdio – A Associação Nacional dos Delegados da PF repudiou críticas feitas em nota pela Secom a respeito da postura do delegado responsável pelo inquérito. “Profissional da mais absoluta idoneidade”, assegura a entidade.

Abacaxi… – Na volta aos trabalhos, após licença de 15 dias, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) anunciou ações para melhorar o atendimento no ISEA (maternidade) em Campina Grande, que registra problema de superlotação.

…Descascado – Na entrevista, concedida na sede do IPSEM, Romero falou em ampliação dos serviços para atender a demanda de partos de pacientes de quase todo o Estado, além de câmeras para monitoramento permanente do atendimento.

Emoção – “A mais gratificante e emocionante experiência da minha vida”. Do vice-prefeito Ronaldo Cunha Lima Filho (PSDB) sobre a quinzena em que ocupou o mesmo cargo exercido no passado pelo pai homônimo.

PINGO QUENTE – “Vários candidatos podem surgir”. Do ex-prefeito Veneziano Vital (PMDB) admitindo a estratégia de pulverização de candidaturas para enfrentar a reeleição de Ricardo Coutinho.

*Reprodução do Correio da Paraíba, edição do dia 23/07/2013 (terça-feira).