João Pessoa, 24 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Preço do racha

Comentários:
publicado em 31/07/2013 às 11h17

O rompimento da duradoura aliança PT e PSB, na esfera nacional, entra na contagem regressiva. A candidatura de Eduardo Campos, o posterior enfraquecimento de Dilma e as pressões cada vez mais evidente e pesadas do Palácio do Planalto contra os socialistas apressam o afastamento definitivo.
Mesmo pesando pouco na geografia política nacional, a Paraíba deu o tom do fim desse casamento. Por ocasião do desfecho do relatório do Jampa Digital, o clima azedou e líderes do PSB, a começar pelo governador Ricardo Coutinho, partiram pra cima e atribuíram ao PT uma campanha subterrânea para constranger Campos, via a desqualificação de aliados.

Não há mais ambiente para relacionamento amistoso. Consolidado e de vento em popa, Pernambuco não perde tanto com essa guerra. A frágil Paraíba, diferentemente, deve sentir o peso do estremecimento. Aliás, já tem sentido. Até agora, nada do aporte de recursos prometido ao Centro de Convenções, a ampliação do Aeroporto Castro Pinto e a modernização do Porto de Cabelo foram ignorados e o badalado empréstimo da Caixa à Cagepa simplesmente não anda.

Dificuldades à vista para Ricardo, aliado que tem reiterado solidariedade à pré-candidatura de Campos. Parcela considerável dos projetos e ações programadas pelo Governo da Paraíba depende majoritariamente da transferência de recursos federais. Mas nem esse aspecto vital à reeleição tem feito o governador refém da circunstância, que tem hipotecado reiteradamente apoio à postulação presidencial do colega de partido.

Não será difícil, portanto, imaginar que, com o confronto nacional declarado e os ataques diretos e públicos do PSB da Paraíba verbalizados por seu maior líder no Estado ao governo do PT, as torneiras da Esplanada passem a gotejar. Ou fechar.

Reflexos – A ordem de fogo aberto dada por Ricardo tem efeito direto na relação com PT na Paraíba. Se já eram minguadas, daqui pra frente as chances de composição em 2014 são praticamente, pra não dizer totalmente, nulas.

Pedreira – Um quadro que dificulta e muito a vida do deputado Luiz Couto, mais uma vez candidato a presidente do PT. Defensor de aliança com o PSB, fica difícil pra Couto sensibilizar o militante petista pró sua tese.

Caetano, Agra e Ricardo – Ex-aliados e amigos pessoais e atuais desafetos políticos, Ricardo Coutinho e Luciano Agra (PEN) voltaram, depois de muito tempo, a ficar frente a frente. O reencontro foi no camarote para convidados do empresário Roberto Santiago na apresentação de Caetano Veloso, sábado. No show intitulado “Abraçaço”, Agra e Coutinho sequer apertaram as mãos.

Bastidores – Ricardo já estava no camarote, quando o ex-prefeito chegou. Agra desceu as escadas e deu de cara com o governador. Coutinho saudou o ex-socialista com um “boa noite”. Agra retribuiu com as mesmas palavras. E só.

Por um triz – Antes, por pouco, os dois não se esbarraram. Minutos separaram a subida deles no elevador da casa de shows. Quando Agra chegou, Ricardo havia acabado de subir. Os seguranças do governador ainda estavam na porta.

Simbólico – Atento aos mínimos detalhes, o empresário Roberto Santiago foi providencial e teve o cuidado de discretamente separar os espaços. Ricardo e comitiva ficaram à direita do camarote. Agra foi pra esquerda. Bem na ponta.

Tremendão – O emblemático Erasmo Carlos está entre as atrações nacionais que serão anunciadas hoje, às 10h, no Paço Municipal, pelo prefeito Luciano Cartaxo na programação da Festa das Neves, que ganhará novo formato.

Preconceito – Joaquim Barbosa declarou ao O Globo que o País que elegeu a primeira mulher de sua história não está preparado para um presidente negro: “Ainda há bolsões de intolerância muito fortes e não declarados no Brasil”.

Produção – O deputado Ruy Carneiro (PSDB) partiu na frente dos colegas e criou uma nova forma de prestação de contas. Postou no seu facebook, de 43 mil amigos, vídeo de 3 minutos. Parecido com um guia de candidato a senador.

Profissionalizando – O apresentador e pré-candidato a deputado estadual, Fabiano Gomes (PPS), não ficou atrás. Nas redes sociais, fez uma homenagem personalizada no Dia do Agricultor, ontem. Com direito a peça publicitária e tudo.

Subdivisão – Em Campina Grande, só se fala no fogo amigo entre os guetos da Prefeitura. De um lado, o ‘clube’ de Moacir Rodrigues, irmão do prefeito e pré-candidato a deputado federal. Do outro, o time que diverge da postulação.

Raio-x – O secretário Waldson Souza tem diagnóstico prévio para explicar o problema da superlotação do Hospital de Trauma de Campina Grande. A deficiência na rede municipal seria o grande gerador da situação.

Filtro – O vereador Fernando Milanez (PMDB) defende depuração no corpo de auxiliares da Prefeitura, a partir da pergunta: quem acompanha Cartaxo em 2014? Critério que pegaria aliados de Agra e o vice Nonato Bandeira.

PINGO QUENTE – “Constatamos total ausência de ações do Governo na região”. Do ex-prefeito Veneziano Vital (PMDB), pré-candidato ao Palácio, ao final da edição do Pensando a Paraíba, em Catolé do Rocha, nesse sábado.

*Reprodução do Correio da Paraíba, 29/07/2013 (segunda)