João Pessoa, 21 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Empate

Comentários:
publicado em 25/09/2013 às 17h40

As novas declarações ontem do senador Cássio Cunha Lima caíram com uma luva no caldeirão de especulações permanentemente aceso em torno da aliança entre PSB e PSDB na Paraíba. Com a fala serena e nítida, porém incisiva de Cássio, a relação política dos partidos voltou a ser objeto de atenção e suspense.

Se antes defendia aberta e convincentemente a renovação de parceria em 2014, agora o tucano tirou o pé do acelerador, pra não dizer que puxou o freio de mão. Cássio frisou a “diminuta” presença do PSDB na gestão socialista, representado solitariamente, no dizer do senador, pelo secretário Gustavo Nogueira.

Na entrevista concedida à imprensa presente à solenidade de filiações ao PSDB, Cássio viu com naturalidade a tese de candidatura própria do seu partido, elencou o potencial dos quadros da legenda e lembrou a renúncia de candidatura em 2010, deixando espaço para a interpretação de possível compensação na eleição vindoura.

Pela enésima vez, só que ainda mais enfático, o campinense voltou a ratificar a diferença de estilo, de visão política e pessoal, entre ele e o governador Ricardo Coutinho. Típica retórica de quem faz questão de pontuar diferenças como a se eximir de responsabilidades por eventuais erros do atual governo.

Aliás, nesse quesito Cássio reconheceu alguns avanços da gestão em curso, entre os quais contidos no mérito da continuidade de obras e projetos do “seu período de mandato”. A ênfase maior, no entanto, foi dada aos “equívocos” e “desajustes” merecedores de reparos da parte do governador Ricardo Coutinho.

De parceiro incondicional, o senador se apresentou como aliado crítico. Uma postura que vem logo depois de um Ricardo confiante no seu cabedal de ações e pronto para qualquer disputa. Agora, sabe-se: a recíproca é verdadeira.
 

*Artigo publicado na coluna do Correio da Paraíba, edição do dia 24/09/2013 (terça-feira).

Leia Também