João Pessoa, 23 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 02:06 - 2.3 | 08:13 - 0.3 | 14:26 - 2.4 | 20:38 - 0.2 Dólar 3,26 - Euro 3,65

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Veneziano e o Blocão

Comentários:
publicado em 14/11/2013 às 11h52
A- A+

Não dava pra entender que um partido feito o PMDB, de tanta gente experiente e vivida na política, estivesse errando tão grosseiramente no trato público da política de alianças para a eleição de 2014 na Paraíba. Sobraram arroubos, provocações e exigência de reciprocidade à composição nacional, na marra. Faltava bom senso e temperança.

Como a Coluna anunciara ontem, daqui pra frente aliados e estrategistas do prefeito Veneziano Vital adotarão linha de raciocínio e declarações moderadas e agregadoras. Não tem porque ser diferente. Alimentar o confronto, a queda de braço e impor coligação goela abaixo só afugenta apoios futuros.

O ideal é adotar a política da boa vizinhança com os partidos do chamado Blocão. Só assim é possível manter aberta uma porta de entendimentos, caso o bloco desista da tese de candidatura própria, por alguma razão. Bem tratado, o grupo terá condições políticas de se debruçar sobre a proposta de composição com Vené.

Pesquisas em poder do bunker venezianista mostram que entre os nomes cotados da oposição, incluindo opções do Blocão, o ex-prefeito de Campina Grande é o candidato mais competitivo da atualidade. Se esse quadro perdurar, não é de todo improvável que Veneziano, da base de Dilma, venha a ser uma alternativa de voto.

Por último: quem disse que a melhor estratégia pra Veneziano é juntar todo mundo da oposição no primeiro turno? Ledo engano. Até as árvores de Pau-Brasil da Granja Santana sabem que a polarização só beneficia e interessa a reeleição do governador Ricardo Coutinho, que lambe a rapadura por um pleito plebiscitário.
Portanto, o mais inteligente, da parte do PMDB e partidos agregados, é estimular o máximo de candidaturas pela oposição. Não desqualificar potenciais aliados.

*Artigo publicado na coluna do jornalista no Correio da Paraíba, edição do dia 13/11/2013 (quarta-feira).