João Pessoa, 01 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 01:43 - 0.5 | 08:06 - 2.3 | 14:26 - 0.5 | 20:49 - 2.1 $ Dólar 3,17 - € Euro 3,46

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Fôlego

Comentários:
18/12/2013 às 23h27
A- A+

O governador Ricardo Coutinho não vai virar peru de Natal, que morre de véspera, como canta de galo a oposição na Paraíba. É a fácil conclusão que se chega a partir do resultado da avaliação da gestão socialista na Paraíba auferida pelo Ibope em pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria.

De acordo com os dados, 39% dos paraibanos consideram o governo do PSB bom e ótimo, o que dá a Ricardo a condição de oitavo governador mais bem avaliado do Brasil. Índice próximo à avaliação da presidente Dilma Roussef, dona de 43% de aprovação no mesmo quesito.

Outro número animou os estrategistas do governo: 54% dos entrevistados aprovam o estilo de administração de Ricardo. Ele é o segundo governante melhor avaliado da região Nordeste. Só perde para seu colega de partido, Eduardo Campos, governador do vizinho Pernambuco.

Por área, o melhor desempenho do governo é no programa de estradas e rodovias, apontado por 28% dos paraibanos como a ação mais importante da gestão. O indicador revigora o governo, que tem apostado todas as fichas e discursos na exploração política e midiática dos investimentos nesse setor. É o maior trunfo.

Mesmo bombardeado pela metralhadora incessante dos adversários desde que assumiu o Palácio da Redenção, Ricardo merece o crédito de 52% dos entrevistados, um público que diz confiar no gestor do Estado. Nesse aspecto, ele tem a sétima melhor pontuação entre seus colegas brasileiros.

Os números mostram que, apesar da estratégia de asfixia da oposição, Ricardo respira e tem oxigênio suficiente para entrar na corrida. Quem duvidar e subestimar, pode ficar pra trás.

*Artigo publicado na coluna do jornalista no Correio da Paraíba, edição do dia 14/12/2013 (sábado).
 

Leia Também