João Pessoa, 24 de abril de 2017 | --ºC / --ºC 02:39 - 2.4 | 08:43 - 0.3 | 14:56 - 2.5 | 21:02 - 0.1 $ Dólar 3,12 - € Euro 3,39

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Desde 1993 exerce as funções de Diretor Executivo da AETC-JP. Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Benilton também aderiu!

Comentários:
30/12/2014 às 11h13
A- A+

Não pense que se trata de adesão político-partidária, não, leitor(a)… embora esse Benilton do título destes escritos seja mesmo o vereador Benilton Lucena, do PT, membro da Câmara Municipal pessoense!

A adesão é à causa da construção de um memorial no local de desembarque das tropas holandesas na Paraíba em 1634. Este local foi mencionado assim, lá em 1923, por José Américo de Almeida, em seu livro “A Paraíba e seus problemas”, na introdução que titulou de “Terra ignota”:

– “A partir da barra do Paraíba, o terreno se aplaina nas praias pitorescas e aprazíveis que vão, com esse aspecto, até o Cabo Branco. São as estações balneárias de Ponta de Mato, Formosa, Camboinha, Poço, Ponta de Campina, Bessa e Tambaú. E no Bessa, na enseada do mesmo nome, formada pelo Jaguaribe, desembarcou, em dezembro de 1634, o exército holandês, sob o comando de Sigismundo Von Sckoppe”.

Recentemente nos encontramos com o vereador Benilton Lucena na caminhada matinal, bem cedinho, pelas calçadinhas da beira-mar do Bessa, mais exatamente no trecho da avenida Artur Monteiro Paiva, local que especialmente de 2008 para cá tornou-se muito freqüentado tanto em função da construção dessas calçadinhas e asfaltamento da respectiva artéria, quanto pela abertura/funcionamento de restaurantes como o Bessa Brasil, Bessa Grill e o Barril 21. Nesse encontro, mesmo caminhando, conversamos sobre a falta dos cuidados mais adequados por parte da Prefeitura em relação àquela área (reconhecidamente um ponto de convergência para turistas, incluídos os daqui), de tal forma que nem houve (em 2008) o ato inaugural das melhorias ali instaladas!

Benilton de pronto disse que procuraria falar com Anselmo Castilho, presidente da Enlur, tanto para que ele recomende uma varrição nas calçadinhas (que nunca foi feita), quanto para uma campanha educativa junto aos que levam seus cães e os deixam ali “fazer cocô” sem a mínima preocupação!… Também para aparar os matos que invadem as mesmas calçadinhas, havendo locais em que nem se pode sentar nos banquinhos!…

Mas, igualmente importante nesse “caminhando com Benilton” foi referirmo-nos sobre o local do desembarque das tropas holandesas na Paraíba, que, nesse encontro, ele viu, visitou e se surpreendeu que nada em referência ali existe. Ao contrário, existe um muro muito feio, de uns 100 metros, cheio de propagandas feias… encobrindo a vista da praia e do mar! Dissemos-lhe que sobre essa referência histórico-geográfica já conversamos com o prefeito Luciano Cartaxo e, por recomendação deste, com o secretário da Seplan/JP, Rômulo Polari, sendo de dever aqui registrar que iguais defensores desse memorial são o vereador Bruno Farias e o ex-senador Roberto Cavalcanti, este, inclusive, tendo buscado contatos com o Consulado holandês na expectativa de apoio financeiro para tal.

Leia Também

Um “tour” Bessa/Intermares

Não pense que se trata de adesão político-partidária, não, leitor(a)… embora esse Benilton do título destes escritos seja mesmo o vereador Benilton Lucena, do PT, membro da Câmara Municipal pessoense! […]