João Pessoa, 23 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Refazendo a rota

Comentários:
publicado em 28/02/2014 às 16h03

Ainda haverá embates de teses em cumprimento ao tradicional calendário interno, mas no PT da Paraíba deve prevalecer a palavra da orientação nacional de aliança com o PMDB, que indicará, mais uma vez, o vice da presidente Dilma. A direção estadual Paraíba já foi comunicado da deliberação superior, movida, em grande parte, pelo novo cenário da candidatura do senador Cássio Cunha Lima.

O reflexo mais imediato é o sepultamento do Blocão, agrupamento liderado pelo PT mais PSC e PP sob a inspiração de candidatura alternativa. Nessa nova configuração, os petistas vão refazer a rota traçada e migrarão aos poucos para a candidatura de Veneziano Vital, porém não levam necessariamente PSC e PP, que avaliarão outras variáveis para definir coligação.

Daqui pra frente, a discussão interna entre correntes do partido deve gravitar em torno de qual espaço reivindicar ao PMDB e quais quadros com viabilidade estão disponíveis à empreitada. Se der, o PT garimpará a vaga de senador, embora sob risco de emperrar na ausência de nomes com perfil e capilaridade proporcionais ao pleito.

Se decidir ou for convencido a ocupar a vice, os obstáculos são bem menores. De olho no precioso tempo de televisão petista, o PMDB não olhará os dentes do cavalo. O partido de Veneziano precisa fortalecer seu palanque eletrônico e contar com os votos e estrutura do prefeito Luciano Cartaxo na estratégica João Pessoa.

No novo plano de vôo, o PT – timoneiro na pregação de candidatura dissociada das forças tradicionais – também terá que fazer transição discursiva rumo à iminente aliança com o PMDB, alvo de críticas e até desdém. O partido será cobrado por uma opinião pública acalentada pelo insistente mote do “protagonismo”. Um movimento brusco pode render arranhões de credibilidade.

Alheio a tudo isso, Veneziano, beneficiário direto, é quem tem motivo pra comemorar. O reforço do PT revitaliza suas pretensões. Como bom discípulo de Santo Agostinho, ele começa agora a colher os frutos da paciência.
 

*Artigo publicado na coluna do jornalista no Correio da Paraíba, edição do dia 28/02/2014 (sexta-feira).