João Pessoa, 19 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Polarização e vantagem

Comentários:
publicado em 27/07/2014 às 17h16
A- A+

Mesmo com a substituição do ex-prefeito Veneziano Vital pelo irmão e senador Vital do Rêgo, a polarização entre as candidaturas do senador Cássio Cunha Lima e do governador Ricardo Coutinho, verificada durante todo o micro processo eleitoral, se mantém absolutamente inalterada após as convenções.

É o que revelam os novos números da pesquisa Correio/Souza Lopes. Portanto, a questão não era o candidato em si, mas uma tendência do cenário posto a desafiar o PMDB, que apostando em Vital só atrai 4,4% das intenções de voto dos paraibanos, a metade de Veneziano (8,5%), em junho.

No mais, nessa mais recente consulta – a primeira após os pedidos de registros dos candidatos – o quadro não apresenta significativas mudanças. O senador Cássio Cunha Lima segue na liderança, agora com 45,5%, uma leve subida de 1,7 pontos (antes tinha 43,8%).

Se Cássio, candidato da oposição e sem a tradicional força da máquina para atrair votos e perspectiva de poder, tem motivo para celebrar o feito da permanência na folgada dianteira, o governador Ricardo Coutinho também tem o que comemorar. Ele saltou de 25,1% para 29,2%, um crescimento (de 4,1 pontos) acima da margem de erro.

Não é, entretanto, nenhuma arrancada. A diferença, no cômputo geral, pouco mudou. Em junho, 18,7 pontos separavam o primeiro do segundo colocado na corrida ao Palácio da Redenção. Nessa nova pesquisa, a margem é de 16,3 pontos de vantagem pró Cássio. Uma oscilação de 2,4 pontos em um mês.

Uma distância ainda desconfortável para um governador candidato à reeleição, em pleno exercício do poder, sobretudo, depois de ter atraído o PT e toda sua influência em João Pessoa, o maior colégio do Estado. Assim, resta a Ricardo apostar tudo no guia e nos debates, onde ele é bom e pode dar muito trabalho.

*Artigo publicado na coluna do jornalista no Correio da Paraíba, edição do dia 26/07/2014 (sábado).