João Pessoa, 20 de novembro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
feminicídio

Suspeito de matar ex é pego por familiares da vítima

Comentários:
publicado em 20/11/2018 às 12h57

A Polícia Civil prendeu na manhã desta terça-feira (20) Vanclécio Cordeiro, suspeito de matar a ex-mulher, Fernanda Siqueira, com facadas no peito em uma rua em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio, no último domingo (18). Ele foi detido no bairro Colégio.

Vanclécio foi capturado por familiares da vítima que estavam indo para o velório da jovem. Eles o perseguiram, o seguraram e chamaram a polícia. Agentes do 9º Batalhão (Honório Gurgel). A informação da prisão também foi confirmada pela Delegacia de Homicídios (DH). Na segunda (19), a Justiça havia decretado a prisão temporária.

“Eu, meu irmão e meu filho o avistamos andando na rua tranquilamente, como se nada tivesse acontecido. Nós paramos o carro e saímos correndo atrás dele. Quando eu cheguei, ele estava escondido embaixo de um carro. Chamei a polícia. A primeira coisa que ele falou quando o pegamos foi: ‘como é que ela está?’ A primeira pergunta que ele fez: ‘Como ela está? Eu não queria fazer isso, como é que ela está?’. É um conforto para família saber que ele está preso e que agora a justiça vai ser feita” destacou Orlando Nunes, primo de Fernanda, que ajudou a capturar Vanclécio.

Policiais da DH afirmaram que, durante a prisão, ele confirmou o assassinato.

“Ele já desceu para matá-la com a chave do carro para fugir. Disse que, após abandonar o veículo, deixou o celular dentro do carro porque sabia que poderia ser localizado pelo aparelho. Passou a noite sob o viaduto de Colégio com moradores de rua, que chegaram a limentá-lo. Na manhã desta terça-feira (20), ele pretendia ir de ônibus até a casa de um irmão, em Vila Vintém. Mas a família da vítima o pegou antes”, explicou o delegado Luiz Otávio Franco.

Segundo familiares que assistiram ao crime, ele tentou fugir do local de carro, mas perdeu a direção e chegou a invadir uma pista do BRT. Em seguida, Vanclécio fugiu a pé e deixou o celular para trás. Uma tia de Fernanda contou como foi que ele atacou a sobrinha.

“Ele começou a beber, do nada e veio. Ela disse: tia, ele tá com uma cara feia, quando eu fui olhar, assim, foi tão rápido. Ela correu, eu fui atrás dela. Aí, ela estava cheia de sangue, ela me abraçou, e começou já a desfalecer. A gente botou ela na cadeira, fiquei toda cheia de sangue, fiquei com ela abraçada”, contou Jane de Souza.

O corpo de Fernanda Siqueira está sendo velado na manhã desta terça no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.

G1

Leia Também