João Pessoa, 15 de novembro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
MOTIVO PESSOAIS

Ilan Goldfajn não ficará na presidência do BC

Comentários:
publicado em 15/11/2018 às 09h51
atualizado em 15/11/2018 às 09h57
Foto: (Felipe Cotrim/VEJA.com)

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, não vai permanecer no comando da autoridade monetária no governo Jair Bolsonaro, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. A interlocutores, Ilan afirmou que não aceitará o convite por motivos pessoais. O presidente do BC já teria avisado o futuro ministro da Economia do governo Bolsonaro Paulo Guedes, sobre sua decisão.
Ilan tinha a preferência de Paulo Guedes, que chegou a dizer que seria natural que ele permanecesse à frente do BC. Em outubro, Guedes disse que não havia feito o convite formal ao presidente do BC. “Não quero convidar alguém que não tem o desejo de ficar. A motivação é fundamental.”

A equipe de transição avalia agora os nomes do diretor de política econômica do BC, Carlos Viana de Carvalho, e do diretor do Santander, Roberto Campos Neto, para ocupar o cargo.
Campos Neto é o mais cotado no momento. Na terça-feira (13), ele esteve no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde a equipe de transição está trabalhando. Um integrante do futuro governo elogiou Roberto Campos Neto, dizendo que ele é um nome muito bom.

Veja 

Leia Também