João Pessoa, 09 de novembro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Evite dizer “todos e todas”

Comentários:
publicado em 09/11/2018 às 17h52

“Português descontraído” é o título do mais novo livro do professorJoão Trindade,mais conhecido simplesmente como Professor Trindade.A Editora responsável por este livro é a Alumnus, cuja sede é em Brasília/DF.

Com lições ainda bem mais entusiasmantes, cativantes e peculiares que as de outras obras, como “A língua no bolso”, professor Trindade desta feita reúne artigos vários que já publicou em jornais da Paraíba e de outros estados, principalmente no Correio, sobre temas fundamentais da língua portuguesa.

Para que os leitores mais agucem a curiosidade, vamos aqui relembrar parte do artigo de título “Todos e todas”, que consta neste livro “Português descontraído”. Ei-la:

– “Uma candidata a Deputado Federal (e não a Deputada, já que não existe o cargo Deputada, mas, sim, Deputado, que pode ser exercido por um deputado ou uma deputada), esbravejou comigo porque o locutor do carro de som anunciou ´Avisamos a todos que a senadora Heloísa Helena vai atrasar um pouco´ e eu exclamei para um amigo: Ainda bem que ele não disse ´todos e todas`. Foi o bastante para que essa candidata se ´enfezasse` e me dissesse: – ´Olhe! Está na Constituição Federal que homens e mulheres são iguais. A Constituição diz que é para falar ´todos e todas`.

Ponderei o seguinte: – Claro que não! Basta abrir a Constituição e observar que ela diz: ´Todos são iguais perante a lei`; e não, todos e todas.

Inventaram essa excrescência linguística de substantivar (flexionando em gênero) pronomes.

Os pronomes indefinidos (entre eles estão todos e todas) não podem substituir o substantivo, como acontece com ´ele` e flexões.

Quando você diz ´todos`, está abrangendo todo o universo; daí não caber falar ´todos e todas`.”

Reproduzida esta parte doartigo “Todos e todas”, que consta no livro “Português descontraído”, agora somos nós que escrevemos para dizer que, após o termos lido, mais nos acostamos àqueles leitores do Professor Trindade que a ele disseram que haviam aprendido gramática e a redigir melhor com os textos pelo mesmo publicados, textos como os que estão neste novo livro, que proporcionam uma leitura bem descontraída e que nos enseja melhor aprendizado!…

Leia Também