João Pessoa, 22 de outubro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

O MP/PB e o Fórum de Trânsito (II)

Comentários:
publicado em 22/10/2018 às 09h46

Repercutiu bem satisfatoriamente a informação de que o Ministério Público do Estado da Paraíba (MP/PB) pretende instalar e já está organizando o Fórum Interinstitucional Permanente pela Preservação da Vida na Cidade de João Pessoa. Nada menos do que quatro amigos (que haviam lido nosso artigo a primeira parte deste artigo “O MP/PB e o Fórum de Trânsito”telefonaram-nos logopara dizer também se seus entusiasmos diante dessa iniciativa do MP/PB, especialmente por ter confiado ao Procurador de Justiça Valberto Cosme de Lira essa tarefa de fazer funcionar esse novo projeto que está inserido em suas preocupações de “Políticas Públicas” obviamente em favor da sociedade.

Esses amigos a que nos referimos são “batalhadores permanentes” em defesa de uma mobilidade urbana mais humana. Como voluntários, estão integrados a grupos como o de “Mobilidade Urbana Já” (este com sede no bairro do Valentina); o da Ong ETEV (Educar para o Trânsito, Educar para a Vida), com sede na cidade de Santa Rita; à APENGE (Academia Paraibana de Engenharia e Arquitetura) etc.

Ressurge, pois, a esperança de que vamos, sim, passar a contar, através do Ministério Público Estadual, com um órgão ou mais especificamente com um “Fórum” que muito contribuirá para que os projetos de mobilidade urbana sejam levados a efeito dentro da interinstitucionalidade que a lógica impõe, diferentemente do que se constata atualmente, ou seja, cada órgão, mesmo sendo tecnicamente competente, agindo só e tão só com o olhar “pro seu próprio umbigo”, em vez de otimizar suas ações e consequentes resultados mediante a integração interinstitucional, a partir do respectivo planejamento.

E já insinuando uma sugestão com vistas à otimização dessas ações e de seus resultados, nossa expectativa é a de que o MP/PB alargue o universo desse “Fórum de Trânsito” e o foque na dimensão de Região Metropolitana, minimamente considerando a área mais confluente formada por João Pessoa, Cabedelo, Bayeux e Santa Rita.

Leia Também