João Pessoa, 16 de outubro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
FRENTE A FRENTE

Bancada da PB apoia Bolsonaro, diz Julian

Comentários:
publicado em 16/10/2018 às 08h35
atualizado em 16/10/2018 às 12h58

O vice-presidente nacional do PSL, o deputado federal eleito Julian Lemos, afirmou, na noite desta segunda-feira (15), que o candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), já conta com apoio de quase a metade da bancada federal paraibana eleita nas eleições do dia 7.

Em entrevista ao programa Frente a Frente, na TV Arapuan, Lemos afirmou que quatro parlamentares eleitos já lhe procuraram afirmando que estão com o candidato do PSL.

Braço direito do presidenciável na Paraíba, Lemos também rebateu as críticas do governador Ricardo Coutinho (PSB) a Bolsonaro.  Ele reconheceu qualidades do socialista como gestor e por ter posição política ao defender o candidato do PT, Fernando Haddad, mas ressaltou que Coutinho é infeliz em seu posicionamento e age no desespero.

“A forma como Ricardo Coutinho hoje ataca Jair Bolsonaro soa a desespero. As más línguas dizem que ele sonha em ser ministro em um governo de Fernando Haddad, até para ter foro privilegiado. Eu não sei o porquê. Defendendo uma pessoa processada por corrupção como Haddad, que moral tem”, destacou.

Para eles, na tentativa de atacar Bolsonaro, o governador menospreza eleitores que votaram em João Azevêdo (PSB), governador eleito no primeiro turno das eleições. “Falta respeito. Sempre admirei Ricardo Coutinho pela sua inteligência, mas acho que está sendo infeliz”, acrescentou.

Ainda durante a entrevista, o parlamentar eleito defendeu Romero Rodrigues (PSDB) por tratamento “respeitoso” com Jair Bolsonaro, mas criticou o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), por não ter posicionamento político fechado no pleito para presidente.

“Romero Rodrigues teve muito respeito a Jair Bolsonaro. Eu não vejo nenhum mal nisso. Embora ele seja do PSDB. Agora existem outras lideranças, como o prefeito Luciano Cartaxo (PV), que sempre ficou em cima do muro. Ou você fica de um lado ou do outro. Eu particularmente não tenho admiração nenhuma por quem fica em cima do muro. Eu tenho um lado”, argumentou.

Sobre críticas de que Bolsonaro estaria se esquiva propositadamente dos debates por temer o confronto direto com Fernando Haddad, Lemos afirmou que o presidenciável ainda se recupera após ser esfaqueado.

“Para muita gente ele está fazendo teatro. As pessoas tem que ter o mínimo de bom senso. Mas, por mim, adoraria ver Bolsonaro com Haddad para o petista explicar os processos que responde”, afirmou.

Roberto Targino – MaisPB

Leia Também