João Pessoa, 02 de outubro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
'adorno zero'

Hospital lança campanha para profissionais não usarem adornos

Comentários:
publicado em 02/10/2018 às 09h01
atualizado em 02/10/2018 às 10h10

A maioria das pessoas gosta de usar adereços, mas numa unidade de saúde isso se torna um problema, principalmente porque, nesse tipo de instituição, é comum a presença de bactérias multirresistentes, que podem se fixar em adornos metálicos.

Por isso, o Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), vinculado à Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), lançou a campanha Adorno Zero com o objetivo de orientar os profissionais da assistência à saúde a não portar acessórios, como anéis, relógios, pulseiras e piercings.

Desenvolvida pelo Setor de Vigilância e Saúde dos Pacientes (SVSP), a primeira ação da campanha ocorreu dia 27, com a participação de acadêmicos do curso de Enfermagem da UFCG — Campus Cuité, que fizeram encenações e paródia de música. Foram visitados vários setores do hospital, como Pronto Atendimento, Central de Material e Esterilização, Centro Cirúrgico, UTI Pediátrica, Oncologia Pediátrica, Pediatria, Ala Cirúrgica e Ala Pneumológica, e uma nova sessão está programada para esta terça-feira (2).

A mobilização ocorreu no esteio do Dia Mundial da Sepse (13 de setembro), que é uma das principais causas de mortes em todo o mundo. Por isso, os profissionais envolvidos na campanha também receberam orientação sobre o modo correto de higienizar as mãos, inclusive com reforço sobre a necessidade de se retirar os adornos antes mesmo desse procedimento.

“O trabalho foi extremamente positivo. Foi gratificante observar, à medida que a ação estava sendo realizada, os profissionais retirando os adornos e os guardando. Esperamos que essa prática se torne uma cultura efetivada dentro da instituição e que seja algo natural para todos”, afirmou Andreia Barros, chefe do SVSP e coordenadora da campanha.

Norma regulamentadora

A ação foi a primeira de muitas que serão realizadas no HUAC, buscando as boas práticas de qualidade e segurança na assistência à saúde. “Iniciamos com a estratégia Adorno Zero que busca a sensibilização dos profissionais da instituição quanto ao cumprimento da NR 32 que proíbe o uso de adornos pelos profissionais dentro de áreas assistenciais. Todos os profissionais receberam muito bem a equipe, apoiando a ideia”, disse Andreia Barros.

Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho, a NR 32 foi lançada em 2005. O documento estabelece diretrizes básicas para a implementação de medidas de prevenção e proteção à segurança dos trabalhadores dos serviços de saúde. Após o trabalho de sensibilização dos funcionários do Hospital Universitário, a campanha Adorno Zero também será estendida aos familiares e visitantes de pacientes. “É uma tarefa extensa, mas estamos, dia a dia, tentando atingir a meta de garantir aos nossos usuários uma assistência livre de danos e, acima de tudo, de qualidade”, afirmou a chefe do SVSP.

MaisPB

Leia Também