João Pessoa, 28 de setembro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
família

Filho de Mr. Catra, funkeiro MC Juninho “adota” irmãos mais novos

Comentários:
publicado em 28/09/2018 às 10h29
atualizado em 28/09/2018 às 10h30

Filho do músico Mr. Catra, morto no último dia 9, vítima de um câncer no estômago, MC Juninho, de 24 anos, decidiu adotar dois irmãos mais novos e levá-los para morar com ele, no bairro do Lins, localizado na zona norte do Rio. Ao todo, Juninho, que é filho adotivo de Catra, tem 31 irmãos.

“Eu conversei bem com as mães dos meus irmãos e elas concordaram. Independentemente de serem mais jovens, com 12 e 16 anos, eu aprendo muito com os dois”, explicou o funkeiro ao UOL, por telefone. “Eu acho que é uma forma de retribuir, uma forma de ajudar a minha família”, completa, em seguida.

Sobre a morte de Catra, Juninho admitiu que jamais pensou que o pai fosse perder a sua batalha contra a doença.
“Eu nunca me preparei para a morte do meu pai, nunca acreditei que isso fosse acontecer com ele. Eu sempre estive ao seu lado, orando, com muita fé, mas nunca passou pela minha cabeça que o meu pai fosse falecer. Eu olhava para o meu pai e via um cara fortão. Logo pensava ‘não vai acontecer com ele'”, admite. “Mas foi da vontade de Deus”, conclui o músico.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal “Extra”, Catra não deixou nenhum bem ou imóvel, apenas músicas, para as três mulheres e os 32 filhos. Sobre o assunto, Juninho desconversa.

“Devido a doença, o meu pai teve que correr com muita coisa, mesmo tendo o plano de saúde. Mas eu nunca fiquei por dentro dessas coisas. Para mim, o que ficou de mais especial, a grande herança deixada pelo meu pai, foram a educação e o amor.”

Novo Catra
Sempre incentivado por Catra, MC Juninho canta profissionalmente desde os 16 anos e, agora, tem feito em média cerca de 20 shows por mês, segundo ele. O funkeiro acabou de lançar o hit “Vai no chão, menina” e foi ele quem participou da homenagem ao seu pai no Prêmio Multishow.

Questionado se pretende se tornar o “novo Catra”, o artista minimiza. “Ser um novo Mr. Catra não tem como, ele foi único, mas vou honrar muita coisa ainda, pode ter certeza”, promete.

UOL

Leia Também