João Pessoa, 15 de setembro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
setembro verde

Campanha reforça inclusão de deficientes na Paraíba

Comentários:
publicado em 15/09/2018 às 12h05
atualizado em 16/09/2018 às 10h27

Foto: arquivo pessoal/Acesso Cidadão

Faça chuva ou faça sol, como diz a legenda nas redes sociais, o projeto Acesso Cidadão fixa suas tendas na praia de Cabo Branco, em João Pessoa, sempre das 8h às 12h para garantir acessibilidade para pessoas com deficiência. A luta das pessoas com deficiência por garantia de direitos e políticas públicas é lembrado com o ‘Setembro Verde’.

Segundo dados do censo do IBGE 2010, a Paraíba é o segundo Estado com o maior índice de pessoas com deficiência do país. Dos 3.766.834 habitantes no Estado, 27,76%, o que representava 1.045.631 pessoas, declararam ter ao menos um tipo de deficiência na Paraíba. Poucos municípios e Estados conhecem o Setembro Verde ou aderiram ao seu chamado na luta pelos direitos dos deficientes.

Em entrevista ao Portal MaisPB a defensora pública titular da Coordenadoria de Promoção dos Direitos das Pessoas Idosas e das Pessoas com Deficiência no Estado da Paraíba, Fernanda Peres, destacou que as comemorações relativas ao mês ainda ficam restritas a instituições e órgãos cujo trabalho esteja intimamente ligado às pessoas com deficiência.

“Por outro lado, a instituição de um mês escolhido para se chamar atenção para a causa é de valiosa importância, uma vez que dará visibilidade à inclusão social das pessoas com deficiência, possibilitando, inclusive, um efeito cascata, onde cada vez mais as pessoas possam perceber a importância da inclusão e trabalhar para que ela verdadeiramente ocorra.” Finalizou Fernanda Peres.

Atividade promovida pelo Acesso Cidadão (Foto: arquivo pessoal)

Ao Portal MaisPB, um dos coordenadores do projeto Acesso Cidadão, Genilson Machado Lima, revelou que o preconceito ainda é uma realidade diária. “O Nordeste em si é mais preconceituoso com vários fatores. A gente mesmo era excluído de todo o contexto social. A nossa cultura o nosso berço não permitia. Chamavam a gente de coitadinho, bichinho ou o bichinho não pode isso. A família fazia com que a gente ficasse dentro de casa oprimido, ou depressivo. E assim, sucessivamente, ia acontecendo diversos outros problemas psicos e sociais no contexto da nossa vida no dia a dia”, revelou ao Portal MaisPB.

O Acesso Cidadão é uma entidade da sociedade civil sem fins lucrativos que atua na promoção e defesa dos direitos da pessoa com deficiência que completará, em setembro, seis anos de atuação em João Pessoa.

Escolas rejeitam matrículas

Ônibus adaptado da Prefeitura de João Pessoa (Foto: Alessandro Potter/PMJP)

A Lei Brasileira de Inclusão (Lei 13.146/2015) foi um marco no tocante à garantia dos direitos das pessoas com deficiência e assegura, por exemplo, sistema educacional inclusivo em todos os níveis. No entanto, de acordo com a defensora Fernanda Peres, ainda ocorrem inúmeras rejeições de matrículas de crianças com deficiência e grande parte das escolas ainda não oferece essa educação inclusiva.

“Ainda não atingimos o ideal, o que percebemos quando visitamos as escolas, sejam públicas ou particulares. Poucas escolas garantem acessibilidade e projeto educacional inclusivo. Há, ainda, grande resistência na disponibilização de profissionais de apoio escolar, o que, a propósito, deve ocorrer sem qualquer ônus para a pessoa com deficiência. Não pode haver, de maneira alguma, diferença de valores entre alunos com deficiência e alunos que não apresentem deficiência”, explicou Fernanda Peres ao Portal MaisPB.

Mercado de trabalho é desafio

Outra dificuldade para pessoas com deficiência é conseguir inserção no mercado de trabalho. O preconceito por parte dos contrantes faz com que apenas 0,84% das pessoa com vínculo forma de emprego sejam pessoas com deficiência. Conforme a defensora Fernanda Peres, grande parte dos empresários no Brasil, só contrata alguma pessoa com deficiência para cumprir a Lei de Cotas.

Fernanda Peres da Silva, Coordenadoria de Promoção dos Direitos das Pessoas Idosas e das Pessoas com Deficiência

“Embora não detenha os índices de emprego de pessoas com deficiência na Paraíba, é importante registrar que, no Brasil, 81% dos empregadores apenas empregam pessoas com deficiência em razão de determinação legal, ou seja, se não houvesse a lei de cotas que obriga as empresas a contratarem pessoas com deficiência, muito provavelmente e vergonhosamente, o índice seria ainda menor”, afirma a defensora.

MaisPB

Leia Também

Colunas

Whatsapp(83) 99346-5236

Entardecer no Sítio Poleiros, em Barra de Santa Rosa

Enviado por
Neto Nepomuceno

mais lidas