João Pessoa, 19 de julho de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
morte de bancária

Dr. Bumbum e mãe são presos em empresarial

Comentários:
publicado em 19/07/2018 às 16h00

O médico Denis Cesar Barros Furtado, o Dr. Bumbum, e mãe dele Maria de Fátima Furtado foram presos na tarde desta quinta-feira (19), segundo informações da delegada Adriana Belém. Eles estavam foragidos desde domingo, quando a bancária Lilian Calixto morreu de complicações após se submeter a procedimento estético na casa de Denis, na Barra da Tijuca.

Eles foram encontrados por policiais do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) em um centro empresarial na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Para chegar até eles, o setor de inteligência do batalhão contou com informações do Disque Denúncia que oferecia recompensa de R$ 1 mil por informações do paradeiro do médico e da mãe.

Denis e mãe serão levados para a 16ª DP (Barra da Tijuca), que investiga o caso. A namorada de Denis, Renata Cirne, está presa desde domingo.

O boletim médico do Hospital Barra D’Or, em que a bancária Lilian Calixto foi socorrida horas depois do procedimento estético, informou que ela chegou ao local com falta de ar, taquicardia e pele azulada, como mostrou o RJ2 nesta quarta-feira (18).

A polícia montou cerco em um shopping da Barra da Tijuca e chegou a dar voz de prisão a Denis, mas o médico conseguiu fugir – ele destruiu a cancela do estacionamento.

O caso

Lilian seguiu a indicação de uma amiga e entrou em contato com Denis há seis meses. Ela queria retocar o bumbum e marcou o procedimento.

Ao marido e à família, a bancária disse apenas que faria uma viagem para o Rio de Janeiro. Só a amiga que recomendou o Dr. Bumbum sabia do procedimento.

Também indicação da amiga, o taxista que levou Lilian ao condomínio de Denis, na Barra da Tijuca, tornou-se a testemunha-chave do caso. Lilian pediu que o motorista esperasse. A bancária já tinha começado a passar mal quando, desconfiado da demora, o taxista ligou para a passageira.

Denis desceu da cobertura, deu R$ 300 ao taxista e disse que ele poderia ir embora, alegando que Lilian ficaria para jantar. Ainda assim, o motorista ficou e viu, tempos depois, quando a SUV do médico deixou a garagem com Lilian, em direção ao hospital.

O taxista também descobriria que a bancária tinha morrido, avisando a polícia.

A bioplastia

A polícia apreendeu na casa de Denis recipientes com PMMA (polimetilmetacrilato). Trata-se de um tipo de acrílico usado para preenchimento em aplicações prometidas como definitivas.

Mas parecer do Conselho Federal de Medicina de 2013 listava denúncias a respeito da técnica. “Diversos médicos renomados relatam em seus consultórios que a falta de uma solução para o problema está acarretando aos pacientes graves complicações”, diz a entidade.

Niveo Steffen, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica em São Paulo, diz que não há estatísticas exatas sobre as complicações do PMMA, mas que procedimentos com a substância não são aconselháveis. Há muitos relatos de complicação.

“O uso de PMMA não é indicado. Vai contra tudo o que é recomendado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Ele não é absorvido pelo organismo e esse é um problema com ele”, informa

“Deve ser utilizado por médicos em pequenas quantidades”, explicou Hermann Tiesenhausen, diretor de Comunicação do Conselho Federal de Medicina.

G1

Leia Também