João Pessoa, 18 de julho de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

26 de julho: ponto facultativo?!…

Comentários:
publicado em 18/07/2018 às 12h15

Depois de 10 dias de paralisação nas atividades produtivas do paísface arecente “greve dos caminhoneiros”; depois de outra (meia)  paralisação das mesmas atividades em razão das festas juninas e da Copa  2018, é chegado o tempo de todos nós nos dedicarmos ao trabalho,  especialmente o setor público,para a necessária prestação de serviço à população e a devida sustentabilidade econômica.

Aqui destacamos “especialmente” o setor público diante de sua prodigalidade em“inventar” os “pontos facultativos” (feriados específicos para o funcionalismo público) que tanto prejudicam as atividades dos demais setores. E agora já “inventam” até o “ponto facultativo referente ao dia imprensado”!

Daí a necessidade de que o país, o estado e a cidade promovam ações que compensem os prejuízos econômicos deste ano já apontados pelas pesquisas do IBGE. E a mais consequente dessas ações corresponde exatamente ao cumprimento do trabalho para o qual cada profissional, inclusive servidor público,é devidamente pago. Eis, portanto, a conclamação para que o setor público, se novos “pontos facultativos” decretar, faça-os com justificativa mesmo convincente. Por exemplo, o “Dia do Funcionário Público”, já consagrado por lei, é e deve ser dia de festa para essa laboriosa categoria, pelo que a “folga” faz-se pertinente a tal comemoração. “Dia de Corpus Christi” é feriado na maioria dos municípios brasileiros ou “ponto facultativo” no setor público em vários outros lugares porque a maioria de nossa população é cristã e, como tal, boa parte quer ir às Igrejas ou acompanhar a tradicional procissão que se realiza nesse dia.

Muito admiramos a obra do ex-presidente João Pessoa, cujo assassinato ocorreu em um 26 de julho, fazendo eclodir a Revolução de 1930. Nesse próximo dia 26, completando-se 88 anos de sua morte, precisa que Desembargadores, Procuradores e Promotores de Justiça, Conselheiros do TCE e funcionalismo em geral tenham “ponto facultativo” para poderem comparecer à tradicional Missa das 9 horas e à também tradicional solenidade das 10 horas, esta na Praça João Pessoa?!… Quantos comparecerão?!…. E tem mais um risco: sendo em uma quinta feira, haveria uma “sexta feira imprensada”!

Como o ex-presidente João Pessoa tem, em sua história e como uma de suas marcas, o trabalho… o cumprimento do trabalho corresponde à mais significativa homenagem a tão ilustre paraibano. E se as atividades escolares já foram retomadas, certamente os estabelecimentos de ensino, por seus professores de história, referenciarão e reverenciarão, para seus alunos, o ex-presidente João Pessoa. Mas, se “ponto facultativo” houver… apenas servirá para o lazer e talvez umas “bicadas”.

Leia Também