João Pessoa, 22 de junho de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
saúde

Secretaria alerta para queimaduras no São João

Comentários:
publicado em 22/06/2018 às 11h07
atualizado em 22/06/2018 às 15h13

Forró, quadrilha, comidas típicas e as grandes atrações das festividades: fogos de artifício e a fogueira. Chegou o período junino e pensando no bem-estar da população, a Secretaria de Saúde de João Pessoa (SMS) alerta para que os cuidados sejam redobrados nesta época, principalmente com as crianças. Nesse período, a queda da temperatura e a fumaça são combinações perfeitas para o aumento de usuários com problemas respiratórios nos serviços de saúde.

O contato com a poeira, fumaça da fogueira e dos fogos de artifício são alto fator de risco para doenças respiratórias, principalmente entre pessoas que já desenvolvem quadros alérgicos, idosos e crianças. Essa situação pode causar irritação nos olhos e garganta, alergia, asma, bronquite, além de reduzir a resistência a infecções.

Cerca de 300 crianças e adolescentes são atendidos por dia no Hospital Municipal do Valentina (HMV). No mês de junho há um aumento no número de atendimentos por conta da fumaça, ocasionada pelas fogueiras, fogos e também pela mudança de temperatura da época.

“É importante que os pais fiquem atentos e não deixem seus filhos muitos expostos a fogueiras, que podem causar prejuízos as crianças, principalmente aquelas que já têm quadros de alergias”, destacou Carmem Gadelha, pediatra e diretora do HMV. “A diversão deve ser a base de muita alegria, o fogo traz perigo tanto para adultos e, sobretudo, para crianças”, completou.

Serviço – Na rede municipal de saúde, as crianças alérgicas e com problemas respiratórios são atendidas no Hospital do Valentina, com atendimento 24 horas por dia em casos de urgência e emergência. Para o acompanhamento, as consultas devem ser marcadas na Unidade de Saúde da Família (USF) onde a criança é cadastrada.

Já os adultos, em caso de urgência e emergência, devem seguir para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Oceania, em Manaíra, ou Célio Pires de Sá, no Valentina. Para o acompanhamento, assim como as crianças, devem procurar uma USF, podendo ser atendidos na unidade ou encaminhados pelo clinico geral para atendimento de alergologista ou pneumologista no Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) de Jaguaribe.

Para atendimento em casos de queimaduras, tanto adultos quanto crianças, devem ser socorridas pelo Samu Regional – 192 ou imediatamente encaminhados para o Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena.

“Quanto às queimaduras, os pais devem ter cuidado redobrado com seus filhos e proibi-los de manipular fogos. Já os adultos devem evitar soltar fogos de artifício próximos às crianças, tendo em vista que algumas queimaduras podem trazer danos irreversíveis”, completou a médica Carmen Gadelha.

A médica explica ainda que, no caso de contato de pólvora com os olhos, a orientação é lavar abundantemente com soro fisiológico ou água corrente, sem esfregar. Se os olhos forem atingidos por explosões de bombas, o melhor a fazer é tapar o olho com gaze e procurar um serviço de emergência geral ou oftalmológica.

Dados – Atualmente, são realizados cerca de 7 mil atendimentos por mês. O HMV trabalha o acolhimento com classificação de risco, otimizando os atendimentos de urgência e emergência em espaços adequados a essas atividades com leitos de assistência em sala de estabilização e vermelha e sala amarela.

A unidade conta, ainda, com alas de enfermarias com 60 leitos para internações de pediatria clínica e pós-cirúrgica e realiza internações em acomodações padronizadas pelo Ministério da Saúde, garantindo boas condições ao tratamento das crianças e comodidade aos acompanhantes.

MaisPB

Leia Também