João Pessoa, 12 de junho de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
No 'Dia das Namoradas'

Viúva de Marielle grava vídeo contra preconceito

Comentários:
publicado em 12/06/2018 às 17h11
atualizado em 12/06/2018 às 17h13

Viúva da vereadora Marielle Franco, executada no Centro do Rio no dia 14 de março, Monica Benício participou da gravação de um vídeo de Dia dos Namorados em homenagem à companheira morta. A filmagem foi divulgada nesta terça-feira (12) na página oficial no Facebook da Anistia Internacional.

“A gente não vai deixar de amar porque está dentro de um contexto social onde parte das pessoas não acredita que esse amor seja legítimo”, diz Monica, no vídeo.

Na filmagem, Monica conta que conheceu Marielle há 14 anos. Ao longo desse tempo, diz ela, houve momentos em que o casal teve “certa resistência” em tornar o relacionamento público.

Mesmo assim, a companheira da vereadora elogia a forma como a parlamentar demonstrava afeto e desejava expor o carinho que as duas sentiam. “Por ela, tinha fotinho todos os dias”, revelou.

Ainda de acordo com a mulher de Marielle, a maior expressão da vereadora em lutas pela causa LGBTI estava justamente na divulgação da vida pública, que priorizava não esconder o relacionamento e reforçar que se tratava de um “amor legítimo”.

“Eu acho que a maior expressão dessas, para além da questão do parlamento, era a divulgação da vida pública dela, que era não esconder o relacionamento que a gente tinha, que era reforçar que isso era um amor que era legítimo, que era feliz, que as nossas famílias existem. Eu acho que essa era a principal forma de ela lutar dentro dessa causa”, afirmou Monica.

Monica, que também é ativista dos Direitos Humanos, explicou que a luta de Marielle era razão para levantar todos os dias e resistir. “Todo dia era um dia de levantar e dia de resistência”, lembra. A ativista também ressalta a ajuda que tem recebido e conta que esse apoio tem sido fundamental para “manter a luta”.

“O apoio tem sido muito grande. Falando por mim, especificamente. É isso que ajuda a manter a luta. É isso que faz com que eu levante de manhã, que dê algum sentido. É saber que existe essa rede de afeto mundial. Então, toda manifestação de carinho, toda manifestação de afeto… Tá se mobilizando, tá cobrando justiça, tá pressionando as investigações, mas, sobretudo, lutando para que não haja mais Marielles, eu acho fundamental.”

G1

Leia Também