João Pessoa, 16 de Abril de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
VENEZUELA

Morales e Maduro discutem intercâmbio comercial

Comentários:
publicado em 16/04/2018 às 14h24
atualizado em 16/04/2018 às 14h57

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, recebeu ontem (15) no Palácio de Miraflores, sede do governo, em Caracas, seu homólogo da Bolívia, Evo Morales, com quem discutiu a adoção do petro “como uma moeda criptografada para o intercâmbio comercial” entre as duas nações e a revitalização do Sistema Unitário de Compensação Regional (Sucre) como um sistema de troca, entre outros assuntos. A informação foi divulgada hoje (16) pela agência chinesa Xinhua.

Durante a reunião realizada no palácio presidencial, os governantes trocaram ideias sobre o desenvolvimento de organizações multilaterais que devem ser fortalecidas, “para retomar o diálogo na diversidade”, disse Maduro. Ele disse que o petro já funciona “em um grande número de países” e que na próxima semana vai divulgar um balanço sobre a implementação da criptomoeda venezuelana.

O líder venezuelano lembrou que a Bolívia assumirá a presidência pro tempore da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

Morales, que participou da VIII Cúpula das Américas, realizada nos dias 13 e 14 de abril na capital peruana, quando a maioria dos líderes presentes aprovou uma “Declaração sobre a Venezuela”, que critica as eleições presidenciais venezuelanas convocadas para 20 de maio próximo, disse que “os presidentes revolucionários não precisam de reconhecimento dos governos submissos ao império, continuaremos as revoluções democráticas”.

Ao final do encontro, os líderes participantes da Cúpula das Américas, realizada em Lima, divulgaram uma carta-compromisso cujo principal ponto é o combate à corrupção nos países da região. O evento reuniu 18 representantes de 34 países americanos, incluindo chefes de Estado e de Governo, entre eles o presidente brasileiro Michel Temer e o vice-presidente americano Mike Pence.

Segundo o líder boliviano, “a melhor maneira de ajudar a Venezuela é desbloquear economicamente o país”. Morales rejeitou as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos aos venezuelaos e destacou a unidade que existe entre as duas nações “através da construção de um mundo equitativo”.

Agência Brasil

Leia Também