João Pessoa, 14 de março de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
Desistência

Primeiro-ministro da Eslováquia renuncia cargo

Comentários:
publicado em 14/03/2018 às 18h46
atualizado em 14/03/2018 às 18h55
Robert Fico, primeiro-ministro da Eslováquia que apresentou sua renúncia nesta quarta-feira (14), durante entrevista coletiva, em Bratislava (Foto: Vladimir Smicek/AFP)

O primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, apresentou nesta quarta-feira (14) sua renúncia, reivindicada pela oposição após o assassinato em fevereiro de um jornalista que investigava sobre corrupção, Jan Kuciak.

“Hoje ofereci minha renúncia ao presidente da República”, Andrej Kiska, declarou o primeiro-ministro eslovaco. “Se o presidente a aceitar, estou disposto a renunciar amanhã”, acrescentou.

Fico fez seu anúncio na presença dos chefes dos partidos da coalizão governamental, Most-Hid (centro direita, ligada à minoria húngara) e do Partido Nacional Eslovaco (SNS, direita nacionalista), Bela Bugar e Andrej Danko, após um encontro com o presidente eslovaco.

Segundo Fico, 53 anos, o país se arrisca “a mergulhar no caos se os homens da oposição atual tomarem o poder”. Ele quer evitar eleições antecipadas.

Jan Kuciak, morto a tiros com a namorada, havia investigado sobre corrupção e os supostos laços entre homens políticos eslovacos e empresários italianos suspeitos de ter vínculos com a máfia calabresa, a ‘Ndrangheta.

O assassinato provocou uma crise política no país e levou às ruas dezenas de milhares de eslovacos para protestar contra a corrupção e pedir a saída de Fico.

Segundo pesquisa recente feita pelo Instituto Focus, 62% dos eslovacos se pronunciam a favor da renúncia de Fico, contra 13% que consideram que ele deveria ficar.

Segundo o jornal “Sme”, o vice-premiê Peter Pellegrini, de 42 anos, poderia ser candidato do partido Smer-SD, à sucessão de Fico como chefe de governo.

G1

Leia Também