João Pessoa, 19 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Odilon Fernandes – advogado, escritor, professor e procurador federal aposentado.

A importância do mundo jurídico

Comentários:
publicado em 11/08/2017 às 20h09
A- A+

Nenhum assunto é mais pertinente para esta semana do advogado do que falar sobre o mundo jurídico

Estamos vivendo dias de crise política, ética e moral, semeadas a séculos que se transformou em metástase, e talvez até mesmo a influencia má dos signos do zodíaco, de uma gravidade sem paradigma a deixar profundamente hipocondríaco nosso tecido social e a continuar com indiferença e tolerância os responsáveis por esses desvelos com os engodos a que nos levam haverão de deixar-nos apenas o desespero nos tempos do porvir.

O mundo jurídico como responsável pelo equilíbrio social é a esperança que resta para todos nós. Profissionais do direito equilibrados, independentes, sóbrios é que podem mudar o curso da histórialamentável dos desmandos em nosso País, e colocar tudo no seu devido lugar.

A justiça composta por Juízes, Advogados, Promotores, Defensores, Procuradores, Delegados e Serventuários necessitas mais do que nunca de pessoas íntegras, éticas, independentes que possam fazer surgir o panteão dos verdadeiros heróis nacionais pois o tempo de credibilidade dos políticos já expirou, pois neste mundo só temos visto crescer dia a dia as degladiações e locupletações de grande números de quadrilhas partidárias a legiferar estritamente dentro das suas ambições e interesses pessoais que defendem.

Nestes 500 anos de historia do Brasil, desde a carta de Caminha e da designação do primeiro tesoureiro do Brasil colônia que se rouba, tanto é assim que não temos um só exemplo de um político virtuoso em nossa história. A ganancia é o que tem dominado os nossos representantes a ponto de relevarem o povo a uma insignificância e coisificação daqueles que eram chamados de escravos, hoje enganosamente ditos como cidadãos, mas mergulhados numa absoluta e generalizada escravatura, chegou-se ao ponto de tentar passar a imagem de que os que ganham dois salários mínimos pertencem a classe média e vivemos numa sociedade dividida, o que conta com a cumplicidade pela ignorância dos pobres e marginalizados quando mal sabem desenhar o nome.

Surge uma esperança no mundo jurídico para a solução dos nossos problemas, os que fazem esse mundo precisam ser vocacionados para o seu mister, precisam entender que nele todos necessitam ser  independentes, precisam de conhecimentos técnicos, carecem ter uma boa cultura, defender intransigentemente a segurança jurídica, a igualdade, combater todo tipo de privilégios e exageros responsáveis por grande parte ou todos os malefícios causadores das nossas agruras, e neste mundo do direito é indispensável conhecer nossa sociedade, ser humilde sem ser subserviente  nem arrogante, primar pela defesa do principio da igualdade e combater os descalabros dos privilégios, e hoje surgem esperanças de que esses caminhos estejam começando a ser trilhados, esperando-se que nenhum dos integrantes deste universo profissional se considere como paladino da verdade e que não adotem comportamentos messiânicos e de políticos partidários  sob pena de virmos a padecer de males mais graves ainda.

Leia Também