João Pessoa, 23 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
Parque da Lagoa

Zoonoses realiza feira de adoção de animais

Comentários:
publicado em 11/08/2017 às 17h11
atualizado em 12/08/2017 às 09h44
D R T . R J .15855.

Neste sábado (12), no Parque da Lagoa, das 8h às 12h a Gerência de Vigilância Ambiental e Zoonoses (GVAZ) vai realizar mais uma feira para adoção de animais. Esta é uma oportunidade para aqueles que desejam adotar um novo integrante da família,um animal de estimação.

Cães e gatos estarão em exposição aguardando para ganhar um novo lar. Todos os animais disponíveis para adoção, acima de três meses, estão saudáveis e imunizados . Os animais em exposição foram resgatados de maus-tratos ou abandonados, provenientes do Centro de Zoonoses, das ONG´s de Proteção Animal e de Protetores Independentes.

A ação ocorre em alusão a Semana Nacional de Controle da Leishmaniose e é uma realização da GVAZ em parceria com a marca MSD Saúde Animal. Além dos animais para adoção, também serão realizados testes para Leishmaniose canina, vacinação antirrábica e orientações sobre educação em saúde voltadas para o cuidado e prevenção de doenças nos animais.

Adoção – Para adotar um animal, o interessado deve ter 18 anos, apresentar um documento de identidade com foto, comprovante de residência e participar de uma orientação sobre o bem e posse responsável do animal com a equipe da Gerência de Vigilância Ambiental e Zoonoses.

Leishmaniose canina– É uma doença mortal e de fácil diagnóstico, pois um cão pode estar infectado e não mostrar nenhum dos sintomas exteriores. Mesmo sendo considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) uma das seis maiores epidemias de origem parasitária do mundo, focos de leishmaniose visceral canina continuam a se expandir pelo mundo.

No homem, a doença tem sua evolução longa, que pode durar alguns meses ou ultrapassar um ano. Provoca febre irregular e prolongada, anemia, indisposição, palidez da pele e ou das mucosas, falta de apetite, perda de peso, e inchaço do abdômen e aumento do fígado e do baço.

A transmissão acontece quando fêmeas de insetos conhecidos como mosquito palha ou asa-dura, infectados, picam cães ou outros animais contaminados e depois picam o homem, levando  o protozoário para a corrente sanguínea humana. No homem, a doença ataca vários órgãos internos, principalmente o fígado e o baço.

A rede municipal fornece exame gratuito à população. É feito o controle por meio de demanda ativa nas áreas que tenham a presença do inseto transmissor da doença. O cão é considerado o principal reservatório doméstico.

Vacinação antirrábica – A vacinação é a única forma de prevenir que o animal venha desenvolver a raiva e transmiti-la ao homem. A raiva animal é causada por um vírus que ataca diversos animais, inclusive o homem. Quase 100% das pessoas que adquirem a doença chegam a óbito. O cão, o gato e o morcego são os principais transmissores da raiva em áreas urbanas.

MaisPB

Leia Também