João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
POSIÇÃO

Procurador do Trabalho repudia tentativa “disfarçada” de controle da imprensa

Comentários:
publicado em 11/01/2015 às 13h37

 O procurador do Trabalho Eduardo Varandas acusou, neste domingo (11), governistas da tentativa de emplacar “um golpe” no Brasil através do controle estatal na imprensa com a regulamentação do controle econômico da mídia".

Destacando a importância da imprensa, ele lembra a participação dos veículos de comunicação na elucidação e revelação de esquemas criminosos que envolvem agentes públicos. “ A imprensa é fundamental para propagação dos fatos e a franca conscientização do povo”, disse Varandas.

“O adjetivo golpista não se amolda à imprensa, mas aos entes governamentais que se avoram no injustificável afã de controlar a opinião pública. Estes sim são os verdadeiros golpistas”, concluiu.

O novo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, afirmou que reabrirá o debate sobre a regulamentação econômica da mídia. Esta não é a primeira vez que o controle sobre veículos de comunicação é proposto por integrantes do Governo Federal. Em 2010, o então ministro-chefe da Comunicação Social, Franklin Martins, avisou que a presidente Dilma Rousseff ia levar adiante a proposta de regulamentar a atuação de rádios e TVs no país, porém Dilma engavetou, após a malrepercussão, a proposta de regulação elaborada durante o governo Lula, de autoria do ex-ministro Franklin Martins, que tratava de normatizar o setor de radiodifusão. Na época, Martins defendeu também a criação de um Conselho de Comunicação para regular o conteúdo de rádios e TV. O governo estuda agora a apresentação de proposta para uma lei geral da comunicação eletrônica, regulamentando os artigos da Constituição que tratam de mídia. Isso incluiria a regionalização de conteúdo nas TVs abertas.

Os argumentos de Varandas foram expostos em sua coluna no Jornal Correio da Paraíba deste domingo.

MaisPB

Leia Também