João Pessoa, 25 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
assistência

Frei Damião oferece ofurô para bebês

Comentários:
publicado em 17/07/2017 às 15h00
atualizado em 17/07/2017 às 15h07

Como forma de humanizar a assistência aos bebês, especialmente os prematuros de baixo peso, que necessitam de internação hospitalar, a Maternidade Frei Damião disponibiliza a técnica do banho de ofurô, em sua UTI Neonatal. A maternidade integra a rede estadual de saúde.

A estudante Jéssica Kelly de França Carneiro, 20 anos, deu à luz a primeira filha, Ana Vitória, com 26 semanas de gestação. Por causa de uma infecção urinária, a criança nasceu prematura, em 26 de maio deste ano, e deu entrada na UTI Neonatal da maternidade com 720g. Hoje, 52 dias depois, ela está com 1.095 kg e, para a mamãe, que acompanhou o primeiro banho da filha, o procedimento trouxe mais segurança e bem estar para ela e sua bebê.

“A técnica torna mais suave a rotina em hospital, já que por causa dos procedimentos e medicamentos, o bebê fica um pouco estressado. Mas presenciar minha filha tranqüila após o banho me deixa muito feliz e confiante na equipe que está cuidando dela. Senti que ela ficou mais relaxada e calma após o procedimento, além da respiração que também melhorou”, destacou a jovem emocionada.

A diretora geral da Maternidade Frei Damião, Ana Márcia Fernandes, diz que o banho de ofurô proporciona aos bebês conforto e bem estar, especialmente aos prematuros, internos na unidade de saúde.

Segundo a médica pediatra Fernanda Vieira, o banho possibilita, além de qualidade de vida para o bebê e a mãe, um maior vínculo entre mãe filho, e dela com a equipe assistencial.

De acordo com a técnica de enfermagem Suênia Tatiara Evaristo de Almeida, o método propicia ao recém-nascido a sensação de relaxamento, funcionando também como analgésico e organizador, imitando o ambiente intra-uterino. Isso elimina os estados de agitação, insônia e cólica nos bebês.

“O banho de ofurô tem propriedade terapêutica, portanto faz com que o bebê lembre o ambiente no útero da mãe, ocasionando o relaxamento e provocando muitas vezes o sono do recém-nascido durante o procedimento, além de auxiliar no combate a gases, cólicas, insônia, constipação e melhorando a frequência respiratória”, descreveu Suênia Almeida.

A profissional de saúde ainda ressaltou que o método é disponibilizado para os bebês internos que apresentam quadro de saúde estável, independente de estar ou não entubado.

“O método é prazeroso e relaxante não apenas para o bebê, mais contagiante para toda a equipe, que compartilha da alegria e satisfação dos pais em acompanhar o filho recebendo tanto carinho e amor. O serviço melhora o vínculo entre a equipe e o bebê e conseqüentemente a mãe. As pessoas têm uma impressão equivocada sobre UTI, de um ambiente onde o paciente é grave, mas na Maternidade Frei Damião, os profissionais trabalham de forma mais humanizada e aconchegante, implantando métodos que tranquilizam tanto a família quanto os recém-nascidos”, relata Suênia.

A UTI Neonatal da Maternidade Frei Damião conta com um serviço formado por uma equipe multiprofissional composta por 56 profissionais, entre médicos, enfermeiras, fisioterapeutas, fonoterapeutas e técnicas de enfermagem, sendo as técnicas de enfermagem responsáveis pelo procedimento do banho.

Informações sobre o ofurô: 

O banho de ofurô é uma técnica holandesa desenvolvida em 1997, por obstetras e enfermeiras em maternidades, para transmitir aos bebês as mesmas sensações no útero da mãe.

O método serve principalmente, para que os recém-nascidos se adaptem mais rapidamente ao mundo. A técnica consiste em um banho no balde apropriado e com água morna. Após seis horas do nascimento, o bebê pode passar pela técnica com a ajuda de um técnico capacitado e de forma cuidadosa.

Cuidados a serem adotados: 

De acordo com a técnica de enfermagem, o banho dura de 10 a 15 minutos e para a realização é necessário um ambiente tranqüilo e uma música relaxante. A temperatura da água deve estar entre 36º e 37°. É preciso estar sem luvas, para verificar a temperatura ideal da água.

O ideal é que seja colocado ¼ de água no balde, para que o líquido não ultrapasse a altura do peito do bebê e não existir riscos de afogamento. O balde deve ter bordas arredondadas e o local onde será colocado deve ser seguro.

Outra orientação importante é que o bebê não pode ser deixado sozinho. A cabeça do recém-nascido deve ser segurada durante todo o banho.No caso de prematuros, são retirados da incubadora, envolvidos em uma mantinha, que só deve ser retirada após alguns minutos dentro do balde, sem a necessidade de uso de produtos de higiene. 

MaisPB

Leia Também