João Pessoa, 18 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
POMBAL

Pollyana Dutra usou cadáver para entrar na política, rebate Doutor Verissinho

Comentários:
publicado em 12/01/2015 às 20h37

 O ex-deputado estadual e ex-prefeito de Pombal, Doutor Verrisinho (PMDB), não gostou da crítica da atual prefeita da Cidade sertaneja, Pollyana Dutra (PT), sobre a oposição e disse ao Portal MaisPB, na tarde desta segunda-feira (12), que o único mal que fez a gestora foi colocá-la no poder, afirmou que a perseguidora da cidade é a prefeita, argumentou que ela se aproveitou da morte de seu marido para chegar ao comando do Poder Executivo e disse que deu uma “surra” em Pollyana nas últimas eleições estaduais.

Verissinho disse que o mal que fez a prefeita foi colocar seu grupo no poder. “Ela era uma desconhecida e só virou prefeita porque nós a colocamos no poder. Elegemos o marido dela que veio a falecer e ela, chorando de casa em casa em Pombal, em cima do cadáver dele, dizendo que era uma viuvinha pobre, conseguiu se eleger. O mal que nós fizemos foi ter dado vida a eles, porque eles não eram nem conhecidos”.

Sobre a acusação da prefeita, afirmando que a oposição é perseguidora, o ex-prefeito disse que na verdade a perseguição parte da gestora. “Quem persegue é quem está no poder, nós não somos Governo do Estado nem Prefeitura. Agora ela é perseguidora: eu trabalho no hospital em Pombal, onde sou médico há mais de 30 anos, e trabalho através de uma liminar, por que eles quiseram me transferir para João Pessoa”.

Doutor Verissinho disse ainda que a declaração da prefeita é fruto de sua revolta por cauda da “surra” que levou durante as eleições estaduais quando não conseguiu maioria de votos para o seu candidato, Ricardo Coutinho (PSB).“Demos uma surra de voto nela no primeiro e no segundo turno”, concluiu.

Écliton Monteiro – MaisPB

Leia Também