18 de janeiro de 2017 - 07:07

última hora
11/01/2017 às 17h44

Licitação para refeições de deputados em AL inclui lagostas, filé mignon e alfajor

Em novembro do ano passado, o governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), defendeu a PEC 55, que limita os gastos públicos. Mas a julgar por um edital, os deputados na Assembleia Legislativa do Estado não estão muito preocupados com isso.

Com o objeto “registro de preços para serviço de buffet”, o pregão de 27 de dezembro do ano passado teve por objetivo licitar a alimentação da Assembleia Legislativa durante de 2017. O que chama atenção é a infinidade de luxos exigidos. O edital foi divulgado nesta quarta-feira (11) pelo jornal O Estado de S. Paulo e está disponível no site do Legislativo de Alagoas.

Com apenas 31 deputados, a Assembleia prevê dez modalidades de refeições, que variam entre 500 e 4.000 pessoas. São dois tipos de café da manhã, coffee break, coquetel, brunch, lanche box, dois almoços e dois jantares.

Os menus sugeridos do café da manhã incluem: croissant de queijo, goiabada e chocolate, oito tipos de pães (francês, brioche, leite, integral, doce, italiano, sírio e de batata com queijo), além de quiches e tortas.

Para o coffee break, as opções são: salgados de forno, empadão de frango, de camarão, charutinho de carne e de camarão, mini pizza, canapés, quibe assado recheado com muçarela, bolos, alfajor, bem-casados, broa, pão de mel, carolinas recheadas, quiches e tortas.

 Já o coquetel poderá ter patês, finger food, que podem ser bacalhau, camarão crocante, tartar de atum, tapenade de camarão, entre outras dezenas de opções.Quem ficar para o almoço, vai ter alternativas ainda melhores. O edital dá à empresa participante, a opção de escolher três tipos de carne entre mais de uma dezena propostas, que incluem filé mignon ao molho de mostarda, medalhão ao molho de queijo camembert, filé ao vinho com amoras, cordeiro e picanha na chapa. Entre peixes e frutos do mar, também há salmão, bacalhau, lagosta, camarão, casquinha de siri, arroz de polvo e moqueca de frutos do mar.

Os menus ocupam 35 das 102 páginas do documento. O que chama atenção é o refinamento do cardápio de um ano para o outro. Um edital de 2015, feito para almoço e jantar, era bem mais modesto. Tinha quatro opções de acompanhamentos: arroz branco, integral, feijão e “alguma massa”. O prato principal era carne (bovina, suína, frango, pescado ou crustáceo). A sobremesa era apenas doce ou frutas.

O R7 não conseguiu contato com nenhum representante da Assembleia Legislativa de Alagoas até a última atualização desta matéria.

R7