23 de janeiro de 2017 - 19:26

última hora

Jornalista desde 1995 pela UFPB, com pós-graduação em Jornalismo Cultural. Radialista, marido de Gi, pai de Theo e editor setorial no jornal Correio da Paraíba. Torcedor do Flamengo e ex-professor do curso de Jornalismo na FFM. Já trabalhou, também, nos jornais A União e O Norte, no portal Tambaú 247, além das rádios Cabo Branco FM, Jovem Pan AM e CBN, sendo freelancer dos jornais O Globo e Estado de S.Paulo. Contato com a Coluna: jamarrinogueira@gmail.com

01 de janeiro de 2016 - 14h44 • atualizado às 14h45

Spielberg ruim também é bom

Lançado no Brasil no segundo semestre do ano passado, o filme ‘O Bom Gigante Amigo’ (The BFG, 2016), de Steven Spielberg, acaba de sair em DVD e Blu-Ray. É chato, lento e enfadonho. De maneira geral, seria perfeito para não ser visto. Seria…

O filme (adaptação do livro de Roald Dahl, publicado em 1982) conta a história de Sophie (Ruby Barnhill), uma órfã que é sequestrada por um gigante (Mark Rylance). Ela e o grandalhão passam a ser ‘best friend forever’.

Problema é que – levada para a Terra dos Gigantes – terá que enfrentar grandalhões não tão bonzinhos… ‘O Bom Gigante Amigo’ é sobre solidão, nostalgia e opressão. Mas, também é sobre esperança, inclusão e solidariedade.

A obra é a primeira experiência de Spielberg na Disney misturando atores com personagens virtuais criados pela técnica de captura de performance (câmeras infravermelhas gravam os atores, animados por computação). Já havia feito algo parecido em ‘As aventuras de Tintin’.

Spielberg sempre investiu em novos recursos. Listas de inovações podem ser vistas em ‘Tubarão’ (1975), ‘ET – O Extraterrestre’ (1982), ‘Jurassic Park’ (1993), ‘MIB’ (1997), ‘Guerra dos Mundos’ (2005) e ‘Transformers’ (2007), por exemplo.

E é isso que faz de ‘O Bom Gigante Amigo’ um filme que – mesmo ruim – precisa ser visto. Aos 70 anos de idade, Spielberg parece incansável na busca por novos formatos. O autor de ‘Prenda-me se for capaz’, ‘Goonies’ e ‘A.I.’ foge da mesmice …

Custoso acreditar que o diretor  de ‘A Lista de Schindler’ e ‘A Cor Púrpura’ seja o mesmo diretor de ‘O Bom Gigante Amigo’? Custoso, mas não impossível. Spielberg – genial – está em permanente reconstrução…

Outras Postagens