07 de dezembro de 2016 - 23:02

última hora
02/12/2016 às 05h57 • atualizado em 02/12/2016 às 05h58

Goleiro não precisa de nova amputação

Follmann não corre risco de nova amputação
(Foto: Cleberson Silva/Chapecoense) Follmann não corre risco de nova amputação (Foto: Cleberson Silva/Chapecoense)

O goleiro Jackson Follmann, sobrevivente do acidente da Chapecoense, passou por uma nova cirurgia para tratamento de sua perna direita, que teve parte amputada, nesta quinta-feira, em Medellín. A clínica onde o jogador está internado, a Fundación San Vicente, divulgou a informação em um boletim.

O hospital apontou que o ferimento da perna esquerda de Follmann evolui adequadamente “de tal forma que não foi necessária amputação”.

O jogador foi um dos seis resgatados com vida na tragédia ocorrida na Colômbia. Após o falecimento de Danilo, que não resistiu aos ferimentos, sobreviveram o lateral Alan Ruschel, o zagueiro Neto, o jornalista Rafael Henzel e dois membros da tripulação – Ximena Suárez e Erwin Tumirik.

Henzel deve ser transferido a um outro hospital da região de Medellín ainda nesta quinta-feira.
Ele foi avaliado pelo médico Jorge Pagura, da CBF, que constatou um ligeira piora no quadro pulmonar do jornalista. Ele solicitou que o profissional fosse levado da clínica em que se encontra em La Ceja para o hospital da Fundación San Vicente.

Segundo Fernando Solera, chefe da comissão antidoping da CBF, que também está em Medellín, Henzel está consciente, mas, por precaução, optou-se pela transferência a um hospital que conta com um especialista para melhor avaliação.

O zagueiro Neto, que também está em La Ceja, fez duas tomografias nesta quinta, no cérebro e no tórax, que não apontaram alterações em seu estado.

Os médicos da CBF e da Chapecoense querem transferir os quatro brasileiros sobreviventes – há também o lateral Alan Ruschel – para uma mesma clínica, a San Vicente, até sábado.

G1