07 de dezembro de 2016 - 23:06

última hora
01/12/2016 às 14h07 • atualizado em 01/12/2016 às 14h08

Donald Trump faz elogios ao primeiro-ministro do Paquistão

1dez2016-o-primeiro-ministro-paquistanes-nawaz-sharif-esq-e-o-presidente-eleito-dos-eua-donald-trump-1480592257100_615x300

Donald Trump fez elogios ao primeiro-ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, chamando-o de “cara genial”, e considerou seus compatriotas “um dos povos mais inteligentes”, segundo declarações transmitidas por Islamabad sobre uma conversa telefônica entre os dois líderes. O tom da conversa provocou estranhamento entre analistas e a imprensa.

“Você é um cara genial. Faz um trabalho extraordinário, é visível. Estou ansioso para conhecê-lo em breve. Ao falar com você, senhor primeiro-ministro, tenho a impressão de falar com alguém que conheço há muito tempo”, disse Trump, segundo as declarações divulgadas em um comunicado do governo paquistanês.

“Os paquistaneses são um dos povos mais inteligentes”, disse o presidente eleito dos Estados Unidos, segundo o mesmo comunicado, publicado na madrugada desta quinta-feira (1º).

Sharif telefonou a Trump para felicitá-lo por sua vitória nas eleições de 8 de novembro.

Sharif convidou o presidente eleito a visitar o Paquistão e Trump respondeu que “ficará encantado em visitar este país fantástico, um lugar fantástico onde vive gente fantástica”.

O Paquistão não faz parte do itinerário de um presidente dos EUA desde 2006, quando George W. Bush visitou o país sob condições extraordinárias de segurança.

A equipe do presidente eleito divulgou uma nota dizendo apenas que os dois lados “tiveram uma conversa produtiva sobre como os EUA e o Paquistão poderão trabalhar em fortalecer a relação no futuro”.

Segundo a CNN, o gabinete do primeiro-ministro paquistanês publicou a nota citando diretamente Trump, considerado uma violação do protocolo diplomático, logo após a conversa.

O jornal britânico “The Guardian” diz que a nota não deve ser uma transcrição fiel e acrescenta que algumas frases lembram o estilo de um “tomador de notas paquistanês ou do próprio primeiro-ministro Sharif”, que é frequentemente ironizado por seu estilo nos textos em inglês que publica no jornal semanal “Friday Times”.

O entusiasmo da nota também provocou choque nas redes sociais paquistanesas, cujos internautas lembraram a retórica anti-islã do presidente eleito e suas declarações anteriores sobre o Paquistão, muito críticas.

No dia 17 de janeiro de 2012, Trump tuitou: “Que fique claro: o Paquistão não é nosso amigo. Demos a eles bilhões de dólares e o que recebemos em troca? Traição, falta de respeito e coisas piores. #ÉHoraDeSerFirme”.

O Paquistão também está preocupado com a afinidade que Trump demonstrou com seu país vizinho e rival histórico, Índia, depois de ter se reunido com seu primeiro-ministro, Narendra Modi, no mês passado.

O Paquistão é dependente do apoio dos Estados Unidos, que preveem para o ano fiscal de 2017 uma ajuda econômica e militar de 1 bilhão de dólares. (Com as agências internacionais)

UOL