07 de dezembro de 2016 - 23:04

última hora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

01 de dezembro de 2016 - 12h11 • atualizado às 12h12

Aeroporto de Cajazeiras; não basta o selo da Anac

aeroporto-2011-5

Na batalha pelo projeto do aeroporto, apesar dos avanços, ainda há muita pista para vencer

Basta a cada dia seu próprio mal, aconselha Jesus, em Mateus, capítulo 6. Na luta dos cajazeirenses pela legalização do seu aeroporto, o maior dos sofrimentos já foi vencido com a superação da burocracia e o selo da Agência Nacional de Aviação. Uma batalha de dois anos.

Resolvido? Não. Falta muito. E esse muito é o básico. A cidade, junto ao Governo do Estado, tem que agora trabalhar para dotar aquele terminal de passageiros do mínimo de infraestrutura para atrair vôos ou garantir o feijão com arroz do seu funcionamento.

Na prática: levar o projeto a sério e corrigir o amadorismo exacerbado como aquele importante e estratégico equipamento é tratado, até aqui.

Substituir a cerca de arame farpado vista logo na chegada pelos visitantes é o começo para qualquer conversa. A primeira impressão é a que fica. E a atual não é das melhores.

Necessário também a edificação de uma estrutura mais ampla, conveniente e compatível com a aspiração ousada das entidades civis da sociedade cajazeirense. A atual nem de longe é proporcional ao desejo e auto-estima de Cajazeiras.

E, por último, uma nova roupagem na segurança. Hoje, o minúsculo e pouco confortável terminal conta com apenas um soldado de polícia pouco ou mal instruído a pedir documentos de passageiros e pilotos no embarque e desembarque. É o normal saber a procedência do que entra e sai pelos ares da cidade.

Procedimentos e próximos passos vitais para a consolidação de um projeto que representa o sentimento altivo e ousado dos cajazeirenses. Uma gente que ensina a Paraíba a ousar e não impor altura aos seus vôos. E nem sonhos.

Andar com…

Indiferente aos cafés da manhã liderados por Marcos Vinicius (PSDB), o presidente da Câmara, Durval Ferreira (PP) se mantém confiante.

…Fé

Nas contas de Durval, seu bloco de apoio conta com 14 votos. Ele trabalha para tirar dois ou três votos comprometidos com Vinicius.

Verbas represadasAdalberto Fulgêncio

Governo do Estado não está repassando recursos da saúde para a Prefeitura de João Pessoa. A afirmativa é do secretário Adalberto Fulgêncio (foto), durante inspeção hoje à UPA de Cruz das Armas. “O Governo do Estado está atrasado com os repasses das UPAS, desde abril deste ano.

BRASAS

*Comicidade – Chega a ser irônico partir dos aliados de Durval a cruzada pelo fim da reeleição na Câmara de João Pessoa.

Matemática – Os cálculos da vereadora Raíssa Lacerda (PSD) confrontam os números de Durval: “Já somos 16), sentencia.

*Raio – É mais ampla do que se imaginava a reforma em curso do primeiro time do Governo do Estado.

*Expedição – Já tem gente internamente no Governo chamando de “degredados”a ala que está embarcando para o Conde.

*Solução – Ao Blog de Márcio Rangel, o presidente da Assembleia, Adriano Galdino (PSB), garantiu a quitação de pendências com profissionais que atuaram na comunicação da sua campanha em Campina.

FALA CANDINHA!

É quem salva

Conversando com o ouriçado Ambrósio, amigo das antigas, Dona Candinha fez comentário provocativo e pra lá de machista: “Até agora esse governo Temer só tem uma coisa boa: Marcela”.

PONTO DE INTERROGAÇÃO

Qual será o tamanho do PTB, de Wilson Santiago, no Governo Ricardo?

joao-de-pedinPINGO QUENTE

“Hoje vivemos uma sensação de liberdade”. Do prefeito eleito de Marizópolis, Zé de Pedrinho (PSDB-foto), ao dizer que a cidade vivia antes “uma sensação horrível” durante a dinastia de 20 anos do ex-prefeito Zé Vieira (PTB).

Outras Postagens