09 de dezembro de 2016 - 01:39

última hora

Max Oliveira é graduando em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem passagens pelas principais emissoras de rádio de João Pessoa, onde atuou fazendo cobertura esportiva. Atualmente é comentarista e colunista do Mais PB.

19 de novembro de 2016 - 22h39 • atualizado às 22h40

O Campeonato Paraibano tem seu valor

amadeu

O Campeonato Paraibano de futebol pode não ser um dos melhores do País, nem ter tanto sucesso de público e de crítica. Mas, de alguma forma, é preciso apostar nele.

E a melhor forma de fazer isso é tratando as disputas paraibanas como um produto que seja viável para venda e desperte o interesse do público. Ou seja: tratando como empresa, como negócio rentável e atrativo.

Essa é aposta da Federação Paraibana de Futebol, que na última quarta-feira (16), lançou o projeto comercial da competição para imprensa, clubes e demais convidados. Projeto similar já foi realizado em estados como Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Na terrinha o projeto é pioneiro e prevê, além de captação de receitas com mídia e patrocinadores, estruturar o site da federação para otimizar processos administrativos e de interesse dos clubes e dos torcedores. A iniciativa tem a simpatia dos representantes dos clubes, que ainda esperam obter lucro advindo da empreitada liderada pelo presidente da FPF, Amadeu Rodrigues.
Ainda não é possível calcular as chances do projeto vingar, mas o que se sabe é que ele não parte do zero. O Campeonato Paraibano 2017 já tem um formato atraente, clubes motivados e estádios que, hoje, já se encontram em melhores condições em relação a edições passadas. Até o início do certame, previsto para o dia 8 de janeiro, a tendência é que não teremos surpresas negativas.
Não custa depositar, pelo menos, uma boa dose de confiança. Até lá, o projeto comercial do Campeonato Paraibano é uma aposta. Para se tornar uma realidade, a federação precisará dar alguns passos, como a conquista de um parceiro importante e gerir a competição dentro de uma margem considerável de organização, para valorizar a marca.
O projeto é bom, porque o futebol paraibano tem seu valor!

Outras Postagens