João Pessoa, 15 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
"instinto materno"

PM amamenta bebê que seria abandonado e salva vida de recém-nascido

Comentários:
publicado em 18/10/2016 às 15h42

A capitã da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Ana Paulo Moutinho salvou a vida de um bebê de 28 dias que seria abandonado pela mãe. Após o menino não parar de chorar, Ana Paula, que tem um filho de 11 meses, amamentou a criança com o próprio leite materno. Segundo a capitã, ela deixou o protocolo militar de lado e agiu como mãe.

— Eu não consegui ficar indiferente àquela cena. Eu tentei manter o profissionalismo, mas não consegui. Eu não poderia ver aquele bebê tão pequeno, tão vulnerável, e simplesmente não fazer nada por ele. A minha primeira reação, meu primeiro instinto, foi de amamentar ele.

O caso foi publicado na página da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro neste domingo (16). A postagem repercutiu nas redes sociais e, por volta das 21h desta segunda (17), já tinha mais de 14 mil curtidas e mais de 5.000 compartilhamentos.

A equipe do batalhão do Recreio, zona oeste do Rio, foi acionada na semana passada após receber uma denúncia informando que a mulher pretendia jogar o filho na lixeira. A capitã Ana Paula conta que, ao chegar no local, a mãe estava totalmente transtornada e decidida a não ficar com o bebê.

Essa foi a segunda vez que a policial atua em uma ação de abandono de recém-nascido. Há ao menos três anos, quando ainda fazia parte do batalhão de Santa Cruz, Ana Paula salvou a vida de um bebê de um mês que foi abandonado em uma obra — dessa vez, sem amamentar.

— Não sei se é bom ou se é ruim porque, emocionalmente, desgasta muito. Profissionalmente, engrandece, a gente fica feliz, a Polícia Militar se sente honrada de ajudar o cidadão, mas pessoalmente, é devastador. É uma situação muito complicada, muito triste de ver.

R7

Leia Também