João Pessoa, 27 de março de 2017 | 23ºC / 29ºC 05:53 0.9 | 12:04 1.9 | 18:36 0.8 $ Dólar R$ 3,08 - € Euro R$ 3,34

ÚltimaHora
preocupação

Tovar alerta para gravidade da desertificação na PB e cobra ações

Comentários:
17/10/2016 às 12h42 • atualizado em 17/10/2016 às 12h43
A- A+

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) chamou a atenção das autoridades da Paraíba, nesta segunda-feira (17), para o crescimento do problema da desertificação que já chega a 30 mil hectares no Cariri. A falta de chuvas, o desmatamento, as queimadas, as plantações irregulares e, principalmente, a extração de minério tem agravado a situação. “Precisamos de ações concretas do Governo do Estado que vão desde ações educativas, fiscalização e punição para os que cometem crimes ambientais”, disse.

“Além da falta d’água e o problema de abastecimento na grande maioria dos municípios paraibanos, estamos tendo que conviver com essa nova realidade, a desertificação. Não dá mais para o Governo do Estado fazer de conta que nada acontece. As pessoas estão passando necessidades com esses problemas e nenhuma medida está sendo adotada para solucionar a questão”, destacou o deputado.

De acordo com o arqueólogo e geógrafo, Djair Filho, o processo de desertificação na Paraíba está em nível extremo. Ele alerta que necessário realizar um acordo de cooperação para que a vegetação ainda intacta, como a da Serra do Monte, seja preservada. Os municípios mais afetados hoje com o problema são: Boa Vista, Cabaceiras, São João do Cariri e Boqueirão, onde grande parte da caatinga está sendo devastada.

A preocupação do deputado Tovar Correia Lima também passa pelo atraso nas obras da transposição das águas do rio São Francisco. Segundo ele, a previsão da chegada das águas em Monteiro é abril de 2017, quando a previsão de colapso no açude de Boqueirão já acontecerá em janeiro.

“Esse cronograma não é nada animador, principalmente para Campina Grande e os municípios que dependem das águas do açude de Boqueirão. Além desse problema, contamos ainda com o crescimento de áreas em processo de desertificação. O Governo tem que adotar medidas urgentes”, disse.

De acordo com monitoramento da Cagepa, Boqueirão tem apenas 6,3% de sua capacidade. “Como não podemos ficar esperando, temos que ir a busca de soluções urgentes para amenizar o drama dos paraibanos que já padecem com a falta d’água. Nos próximos dias, iremos acompanhar o prefeito Romero Rodrigues em audiências em Brasília. Entre elas uma com o Presidente da República, Michel Temer, para tratar sobre a necessidade de planejar uma ação emergencial para o problema do açude de Boqueirão”, afirmou.

MaisPB

Leia Também

ALPB

Caravana da Seca fará documento para entregar a Dilma sobre situação na PB

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) chamou a atenção das autoridades da Paraíba, nesta segunda-feira (17), para o crescimento do problema da desertificação que já chega a 30 mil […]

Colunas

Whatsapp(83) 99346-5236

  • Memorial na Ponte de Westminster
  • Gilberto Gil e Raimundo Asfora, em Campina Grande
  • Pôr do sol em Marizópolis

Pôr do sol em Marizópolis

Enviado por
Ivan Alves

mais lidas