João Pessoa, 20 de julho de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
INVESTIGAÇÃO

Andrés Sanchez garante: não tem medo da Operação Lava Jato

Comentários:
publicado em 17/10/2016 às 09h25
A- A+

Ex-presidente do Corinthians e atual deputado federal, Andrés Sanchez teve atuação decisiva para a construção da Arena Corinthians, estádio que serviu como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. A construtora Odebretch foi a responsável pela obra, mas agora tem sido alvo da Operação Lava Jato, investigação da Polícia Federal que combate diversas ações de corrupção envolvendo a Petrobras, empreiteiras e integrantes de diferentes escalões do Governo Federal. Questionado sobre qualquer receio de ser preso em futuras investigações, Andrés deixou claro na edição deste domingo (16) do Mesa Redonda, da TV Gazeta.

“Eu, ser preso? Não cometi crime nenhum. Falam que serei preso faz oito anos”, comentou ao ser questionado que a Lava Jato teria influência no seu afastamento do futebol e do Corinthians. “É ridículo. Você não ganha nada como presidente, tem decepções, perde mais amigos e é chamado de ladrão”, afirmou.

 Andrés garante que está afastado da política corintiana por discordâncias em relação à atual administração de Roberto de Andrade. Em relação à construção e aos gastos da Arena Corinthians, ele afirma que está à disposição da Justiça para esclarecer todas as questões pendentes. O valor inicial do estádio era de R$ 820 milhões, porém superou o patamar de R$ 1 bilhão, segundo o próprio Andrés, pela questão dos juros de pagamento.

Por fim, o ex-presidente ainda falou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, réu em três denúncias distintas da Lava Jato, não teve participação decisiva na construção do estádio em Itaquera. “Nós tivemos dois anos de atraso na liberação de verbas e temos dívidas com a Caixa e o BNDS. Então como ele ajudou? O Lula é meu amigo, mas a única coisa que me falou é que (o estádio) deveria ser em Itaquera pois ajudaria no desenvolvimento de regiões mais pobres”, comentou Andrés.

Terra

Leia Também