João Pessoa, 19 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Seis é demais!

Comentários:
publicado em 16/10/2016 às 09h16
atualizado em 16/10/2016 às 10h57
A- A+
xangai

Xangai e Quinteto da Paraíba, um sexteto a provar a força e resistência da nossa cultura nordestina

Em tempos de paradas de sucesso cada vez mais pobres, mais efêmeras e pouco comprometidas com a estética poética, com o labor das palavras e a beleza dos acordes, a cultura brasileira ainda resiste.

Deu pra sentir isso de perto na bela apresentação do cantor, músico e compositor Xangai. Adornado pela sutileza e competência musical do Quinteto da Paraíba, o baiano e os paraibanos encantaram a platéia que pagou pra vê-los na Sala José Siqueira, do reformado e aconchegante Espaço Cultural.

Teatro lotado para assistir uma apresentação de encher os olhos. Um passeio pela paraibanidade nas letras e obras de Jackson do Pandeiro, Jessier Quirino e Antônio Barros e um mergulho no melhor das raízes, da sabedoria e da vivacidade nordestina.

Xangai tem um estilo todo próprio. Elegante na presença de palco, exímio na entonação da voz, teatral na interpretação e doutor no violão e na viola, com quem brinca e se diverte entre cordas, dedos e som.

Afora a anestesia vibrante do espetáculo, a constatação de que ainda há público (platéia lotada) para esse tipo de arte, visceral e representativa da nossa cultura, é um capítulo à parte.

Melhor seria se houvesse maior espaço na mídia para que as novas e futuras gerações pudessem desfrutar desse sabor especial do Brasil, quase sempre escondido ao gosto do nosso paladar.

Se com os cinco já é muito bom, seis, com Xangai ao centro desfilando sua melodiosa cantoria, é demais.

Fora do…
No meio do show, vozes isoladas na platéia começaram a puxar o côro “Fora Temer”.

…Compasso
De imediato, Xangai, sereno e gentilmente, interrompeu a claque. “Eu vim pra cantar”.

lucianofrenteafrenteditadaReunindo a tropa
O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD-foto), amanhece esta segunda-feira reunido com parte de sua equipe, no Gabinete. Vai ajustar o calendário de inauguração de obras até o fim do ano. No começo da tarde, o prefeito viaja à Brasília. Ele está passando este fim de semana descansando fora da cidade.

BRASAS
*Especulação – Até aqui não houve nenhuma sondagem oficial ou extraoficial ao deputado Damião Feliciano (PDT) para a Secretaria de Saúde.

*Injeção letal – Em Santa Luzia, há uma explicação para a virada de Zezé (PMDB). Ele guardou trunfo para os cinco últimos dias.

*Reforços – O deputado Tovar Correia Lima (PSD) saiu com bases fortalecidas da eleição de 2016.

*Tamanho – Ricardo Barbosa (PSB), licenciado, também vitaminou seu arco de prefeitos aliados nos municípios.

*Baixas – Pelo menos dez deputados estaduais saíram de 2016 com aliados e apadrinhados derrotados em suas cidades.

FALA CANDINHA!
Valeu o boi
De Dona Candinha sobre a polêmica da vaquejada e a decisão do juiz de Campina Grande, peitando a Suprema Corte e liberando o Parque Maria da Luz: “Pense numa moral… O homem sozinho puxou o STF pelo rabo”.

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Pequenas vaquejadas vão ter o mesmo tratamento dispensado ao Parque Maria da Luz?

Jackson MarcedoPINGO QUENTE
“Nenhum partido agüentaria esses ataques”. Do secretário de organização do PT da Paraíba, Jackson Macêdo (foto), sobre o saldo negativo petista nas urnas.

Leia Também