24 de janeiro de 2017 - 12:15

última hora
04/10/2016 às 06h21 • atualizado em 04/10/2016 às 11h43

Apesar de renovação, CMJP ainda elege ‘medalhões’ e ‘apadrinhados’

Câmara Municipal de João Pessoa

A renovação do atual quadro de vereadores ultrapassou a casa dos 44% para a próxima legislatura. Dos atuais 27 parlamentares, 12 não conseguiram a reeleição.

Dentre os reeleitos, os detentores de maior número de mandatos são Durval Ferreira (seis mandatos), João dos Santos (quatro mandatos), Luís Flávio (quatro mandatos), Marcos Vinícius (quatro mandatos), Pedro Alberto Coutinho (sete mandatos) e Bruno Farias (três mandatos). A presença desses candidatos considerados ‘medalhões’ é quase certa na lista dos eleitos, a cada pleito.

Por outro lado, apesar da renovação chegar à quase metade da atual legislatura no parlamento pessoense, a maioria das ‘caras novas’ da Câmara possui um padrinho político, que em quase sua totalidade é um ex-vereador.

O vereador mais votado das eleições deste ano, Léo Bezerra (PSB), é filho do ex-vereador e atual deputado, Hervázio Bezerra (PSB). O socialista também é sobrinho do ex-presidente da OAB-PB e 1º suplente de deputado federal, Odon Bezerra.

Outro que também tem o pai deputado é o vereador eleito Tanilson Soares. Tanilson é filho de Edmilson Soares, que está em seu 3º mandato na Assembleia Legislativa e teve passagem pela CMJP por duas oportunidades.

Um dos que vão estrear como parlamentar a partir de 2017, Tibério Limeira, do PSB, recebeu o apoio decisivo das hostes governistas – leia-se da deputada Estela Bezerra (PSB) – e era um dos candidatos da cota do governador Ricardo Coutinho (PSB).

Outro novato na Casa de Napoleão Laureano, Damásio Franca Neto carrega no sobrenome a história de dois ex-prefeitos da cidade: Damásio Franca (avô) e Chico Franca (pai).

Milanez Neto também nunca ocupou um cargo eletivo. Venceu sua primeira eleição em substituição ao pai, o atual vereador Fernando Milanez, que preferiu não disputar o pleito deste ano para ocupar a secretaria de Turismo da Capital.

Thiago Lucena, por sua vez, é outro que vai estrear na política. O jovem é filho do casal de ex-vereadores da cidade, Potengi e Vera Lucena.

Já o Bispo José Luiz, do PRB, apesar de nunca ter exercido mandato eletivo tinha a eleição dada como certa por conta da força do segmento religioso na cidade.

O sindicalista Marcos Henriques, do Partido dos Trabalhadores, irá para o seu primeiro mandato na Câmara de João Pessoa. O petista teve como padrinho o deputado estadual Anísio Maia, que se empenhou em sua eleição na Capital.

Eleitos pela primeira vez para um mandato na Câmara pessoense, Eduardo Carneiro (PRTB) e Humberto Pontes (PTdoB) foram os únicos que não contaram com padrinhos influentes e nem pertencem a família com tradição na política em João Pessoa.

Humberto Pontes (PTdoB) e Eduardo Carneiro (PRTB) foram eleitos no último domingo (2)

Humberto Pontes (PTdoB) e Eduardo Carneiro (PRTB) foram eleitos no último domingo (2)

Eduardo Carneiro creditou sua eleição ao trabalho desempenhado durante o ano em que ocupou a titularidade do mandato na Casa. Em 2012, ele ficou como primeiro suplente de sua coligação. “Graças ao trabalho que realizamos na Câmara, a população de João Pessoa assimilou as nossas propostas e nos deu uma votação consagradora. Meu único compromisso é com cada cidadão dessa cidade, pois sou vereador de todos e vou à luta para representá-los”, destacou.

Humberto Pontes disse se considerar um ‘ilustre desconhecido’. Ele acredita que três fatores foram fundamentais para sua chegada à Câmara Municipal: apoio da família, dos amigos e ao trabalho desenvolvido por sua família na área da Educação.

O candidato eleito adiantou sua área de atuação no parlamento e disse que irá priorizar temas ligados à educação, segurança e saúde. “Vamos atuar em diversas frentes, mas priorizando essas três áreas que julgo essenciais”, arrematou.

MaisPB