João Pessoa, 18 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
ATRAVÉS DO 190

CIOP amplia em 25% o efetivo, mas admite problemas para atender população

Comentários:
publicado em 15/01/2015 às 18h53

Para melhorar o atendimento ao público através do número 190, o coordenador do Centro de Operações Integradas da Polícia Militar da Paraíba, CIOP, coronel Arnaldo Sobrinho, declarou, nesta quinta-feira (15), que o efetivo está sendo ampliado em 25% devido ao grande número de ligações recebidas. A demora no atendimento tem causado insatisfação da população que precisa do serviço e muitas vezes não é atendida.

Em contato com o Portal MaisPB, Arnaldo Sobrinho contou que o grande número de ligações recebidas e os trotes acabam prejudicando o atendimento do público, principalmente entre às 18h e meia noite, que seria o horário de pico em chamadas.

“Isso tem ocorrido de forma que,  das quase cinco mil ligações que a gente atende no período de 24 horas, talvez uns trinta por cento resulte em chamadas válidas” argumentou o coronel acrescentando:

“Temos o registro de pessoas que ligam cem vezes para o 190 e 193. Isso é lastimável. Nessa questão do trote, vamos relacionar uma lista com os que fazem contato com os serviços de emergências e vamos mandar para proceder as investigações junto a Polícia Civil e Ministério Público porque isso acaba atrapalhando aquelas pessoas que precisam de ajuda”, garantiu.

No entanto, Arnaldo Sobrinho afirmou que, apesar dos problemas enumerados, o índice de atendimento pelo CIOP entre manhã de tarde é em torno de 75%, quando o número de ligações é menor.

“O cidadão liga a primeira fez não consegue. Liga a segunda e consegue. Estamos trabalhando para melhorar esse atendimento das 18 até a meia noite quando temos esses gargalos por conta da grande quantidade de ligações”, afirmou o militar garantindo que nesse período são atendidas aproximadamente 2 mil ligações em um período de cinco horas.

“Estamos fazendo esse rastreamento para identificar quem rotineiramente liga para o serviço de emergência. Quem precisa não consegue falar porque vai está justamente congestionado por pessoas que muitas vezes estão usando o serviço até por brincadeira”, garantiu.

Roberto Targino – MaisPB

Leia Também