João Pessoa, 20 de fevereiro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A visita de Dilma e o teste de fogo

Comentários:
publicado em 02/06/2016 às 10h53
atualizado em 02/06/2016 às 12h14
frentebrasilpopular

Quem da política paraibana repetirá essa cena e entusiasmo com Dilma sem mandato?

Em tempos bicudos e de radicalização, nunca foi tão imprescindível na política ter posição clara sobre temas e situações de interesse coletivo. É o que a sociedade exige. É o que o cidadão espera.

A agenda da presidente afastada Dilma Rousseff na Paraíba servirá de termômetro por essas bandas. A audiência pública da Assembleia, com a presença da presidente, mostrará quem é quem nesse debate do impeachment, tido para alguns como golpe político contra a democracia.

Artífice e líder maior da resistência na Paraíba, o governador Ricardo Coutinho fatalmente aparecerá lá em solidariedade à Dilma. Talvez não repita o tom contundente e nem verbalize a retórica do golpe, já suavizada no Encontro dos Governadores, em Maceió, mas quanto à presença não se levanta a mínima dúvida.

O maior teste de fogo será para os prefeitáveis. Não será nenhuma surpresa se Luciano Cartaxo, prefeito de João Pessoa, nem aparecer de longe. Ao sair do PT, Cartaxo deu o gesto político nítido de afastamento do partido e da crise em torno de Dilma. Se manteve discreto no debate e só se posicionou muito comedidamente para dizer que não via motivos jurídicos para a suspensão do mandato da presidente. Ou seja: pulou do barco.

Pré-candidatos do PMDB e do PTB, respectivamente, Manoel Júnior e Willson Filho, eleitores do impeachment no Congresso, obviamente se mantêm na pública posição já tomada.

Já com Cida Ramos, nome do PSB, a coisa muda de figura. E os fatos valem mais do que as palavras. Outrora assídua frequentadora das reuniões da Frente Brasil Popular na Paraíba, movimento que defende a permanência de Dilma e contra o “golpe, ela vem notadamente se esquivando de manter a postura firme adotada antes de ser ungida pelo Jardim Girassol.

Ontem, isso ficou mais do que explícito. Pela manhã, numa entrevista ao Portal MaisPB, Cida disse que não iria ao evento de desagravo de Dilma, até então marcado para dia 8 de junho, por conta de agenda a cumprir noutros Estados nesse dia.

Se a justificativa já era frágil, devido à simbologia do evento e a necessidade de se manter permanentemente em João Pessoa em campanha, como tem feito nos últimos dias, piorou uma hora depois quando o mesmo Portal MaisPB divulgou que a data da vinda da presidente mudou para dia 15. Instantes depois, a Assessoria da candidata divulgou release avisando que ela estaria ausente da Paraíba, na verdade, nos dias 14, 15 e 16 para contar “experiências” de gestão no Ceará e no Pará.

Um esforço absolutamente cristalino para se livrar da associação com a presidente e com a causa que até pouco tempo abraçava com afinco, devoção e, pensava-se, convicção. Entre a a coerência e a estratégia eleitoral, Cida, por sobrevivência, fez a segunda opção.

Do ponto de vista da política tradicional, compreensível. Nem tanto para uma candidata com histórico perfil de esquerda e combatividade que tem se anunciado e prometido “fazer a diferença”. A começar pela palavra empenhada.

Da água…
O PT da Paraíba reagiu à ‘transfiguração’ de Cida. A reação coube ao secretário de Organização, Jackson Macedo.

…Pro vinho
“Ela tinha um lado, uma posição fechada. Desde que passou a ser candidata, mudou radicalmente”, criticou.

Questão de…
“A gente quer entender por que isso? De repente uma guinada de 360 graus “, questionou Macêdo, um tanto perplexo.

…Justiça
Jackson, porém, fez questão de elogiar a “posição de vanguarda” do governador em defesa de Dilma.

 Trunfo é paus
Vice-prefeito de Campina Grande, Ronaldinho Cunha Lima (PSDB-foto) não dá trégua ao governador Ricardo Coutinho. Diante dos últimos fatos, soltou esta: “A ortodoxa escola petista foi o Jardim de Infância de Ricardo Coutinho, no ginásio as coisas tomaram dimensões bem mais graves; hoje descambou para os abusos e crimes de toda ordem”.

BRASAS
*Tome forró – Amazan e Tom Oliveira são duas atrações confirmadas para o 60 Minutos Especial, direto do Campina Grill, em Campina Grande, nesta sexta-feira, a partir das 17h.

*Custo – R$ 10 milhões. Esse é o orçamento total do São João de Campina Grande. Metade bancado pela iniciativa privada, revelou o coordenador, Temi Cabral.

*Por cima – Diante do cenário de crise, Wesley Safadão foi a única atração que não baixou um real o preço do show para a Prefeitura de Campina Grande.

*Representação – Presidente da Assembleia, Adriano Galdino (PSB) representou a Paraíba no encontro dos presidentes das assembleias do Brasil, em Aracajú, Sergipe.

*Debate – O presidente da Fiep, Buega Gadelha, lidera almoço amanhã na entidade para expor ideias do empresariado da Paraíba aos ministros Gilberto Kassab e Bruno Araújo.

FALA CANDINHA!
Uêpa
Do nada, dona Candinha mandou perguntar: “O que é isso companheira”?

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Cartaxo vai mandar representante para o evento de Dilma?

MarmuthePINGO QUENTE
“A cidade não aceita candidatura de laboratório”. Do vereador pessoense Marmuthe Cavalcanti (PSD-foto).

Leia Também