João Pessoa, 23 de maio de 2016 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
EXPECTATIVA

Sob olhar da Europa, Áustria aguarda resultado do 2º turno presidencial

Comentários:
publicado em 23/05/2016 às 14h10
A- A+

A Áustria permanece na expectativa para conhecer o resultado do segundo turno da eleição presidencial entre um candidato de extrema-direita e um ecologista, uma disputa que deixa a Europa em suspense.

No domingo à noite (22), após a apuração, o candidato do partido de extrema-direita FPÖ, Norbert Hofer, superava o ecologista Alexander Van der Bellen por 3,8 pontos, com 51,9% contra 48,1%.

Apenas 144.006 votos separavam os adversários. O resultado final dependerá da recontagem dos 900.000 votos recebidos por correio, um tipo de votação que não é tão favorável ao FPÖ. Nesta oportunidade, 14% dos eleitores escolheram esta opção, um recorde.

O ministério do Interior deve anunciar o resultado no fim da tarde.

O partido de Norbert Hofer advertiu que está atento à recontagem dos votos em caso de um resultado apertado, dando a entender que existe a possibilidade de que “cúmplices do atual sistema político” manipulem os resultados a favor de Van der Bellen.

O resultado da disputa presidencial austríaca deixa a Europa em clima de apreensão.

Uma vitória de Hofer, engenheiro aeronáutico de 45 anos, seria a primeira eleição para o governo de um Estado da União Europeia (UE) de um representante de um partido de extrema-direita.

Se Van der Bellen triunfar, este professor universitário de 72 anos seria o primeiro ecologista a ocupar a presidência da Áustria.

A imprensa austríaca trata a situação como um thriller político e destaca as divisões da sociedade austríaca.

No primeiro turno, celebrado em 24 de abril, o FPÖ liderou com 35% dos votos, o melhor resultado do partido em uma eleição nacional, contra 21,3% dos votos para o partido de Van der Bellen.

O candidato de extrema-direita foi favorecido pela crise migratória, que resultou na chegada ao país de 90 mil solicitantes de asilo em 2015, ou seja, mais de 1% da população. No entanto, manteve um discurso polido, distante das declarações abertamente xenófobas que caracterizavam seu partido anteriormente.

Durante a campanha, Hofer, militante desde a juventude do FPÖ e vice-presidente do Parlamento desde 2013, centrou seu discurso no emprego e no nível de vida dos austríacos, e assegurou que não gostaria de tirar seu país da UE, a menos que a Turquia entre no bloco.

O novo presidente assumirá o cargo em 8 de julho para um mandato de seis anos.

G1

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também