João Pessoa, 22 de setembro de 2014 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Quem unirá a Paraíba?

Comentários:
publicado em 22/09/2014 às 11h21

Se eu fosse político, guardaria na cabeceira e não me distanciaria do conselho que ouvi da boca do então governador Eduardo Campos em sua penúltima entrevista ao Correio Debate, em dezembro do ano passado. Piloto de um governo revolucionário em Pernambuco, Campos soube agregar uma gestão de resultados com a capacidade política de unir um Estado em torno de grandes projetos.

“Porque eu sei juntar as pessoas do bem pra fazer as coisas do bem pra poder servir. Isso é uma marca importante na vida brasileira: ter capacidade de dialogar”, receitou Eduardo, naquela didática entrevista, onde ensinava que ao invés pisotear adversários preferiu buscar neles experiência e contribuição.

Assim como na vida, na política e na administração não há mais espaços para o isolamento, a autocracia, o egocentrismo, a centralização e a demonização de quem pensa diferente ou tem posições críticas. Está no contraditório a fonte de reavaliação de rumos ou de afirmação de caminhos.

Capacidade para ouvir e acolher sugestões, ainda que venham de adversários, é essencial. “Os governantes têm que cada vez mais ter humildade, condição de conversar com a população, admitir quando erra. Não é feio você dizer assim ‘eu errei’, me desculpe, deixa eu melhorar, me dê uma oportunidade, fazer as coisas acontecerem”, exortou, ainda vivo, Eduardo, na presença do governador Ricardo Coutinho, em estúdio.

A Paraíba, em especial, só tem condições de pensar em alcançar nossos estados vizinhos quando conseguir ajustar uma rota de desenvolvimento com unidade política. E unidade política não tem o sentido da adesão a grupos, mas de convergência de projetos. Nosso Estado precisa de um líder com disposição e condições de fazer juntar oposição, governo e sociedade na mesma mesa para superar desafios.

Nessa eleição, essa inadiável e pertinente reflexão não pode faltar na hora da decisão particular, secreta e intransferível do paraibano.

Porteira… – O senador Vital do Rêgo, candidato ao governo pelo PMDB, já não esconde o desconforto gerado pela posição dúbia, ou mesmo infiel, de muitos peemedebistas.

Aberta – Ele disse que aceitou o desafio de se lançar candidato atendendo a uma missão partidária. “Eu espero lealdade e correção”, cobrou Vital. Com endereço certo.

Infidelidade e desabafo – “Tem alguns peemedebistas que nos envergonham, porque não apenas poderiam ficar calados, que já não era sugerível, pedem votos para os adversários. Gostaria muito que antes do PMDB tomar algum tipo de atitude que eles tivessem a grandeza de pedir pra sair. É algo lastimável e deplorável”. Do ex-prefeito Veneziano Vital (PMDB).

Esforço… – As atenções da estratégia de Cássio devem se voltar nessa reta final da eleição para a região metropolitana de João Pessoa, onde ninguém substitui o próprio candidato.

…Concentrado – A campanha do PSB há tempos cuidou de “invadir” os bairros de João Pessoa com as tais “visitas qualificadas”, objeto de investigação interna do Ministério Público.

Tranquilo – Vice na chapa do PSDB, o deputado Ruy Carneiro não se assombra com a oscilação positiva da campanha de Ricardo. Mantém o otimismo e a crença na vitória de Cássio.

Força –  Nos bastidores da campanha do irmão, o vice-prefeito de Campina Grande, Ronaldinho Cunha Lima (PSDB), é um gigante em matéria de manter aceso o astral da “tropa”.

Pé no chão – O núcleo do ex-governador Zé Maranhão (PMDB) anda animado com os números internos e públicos, mas não se acomoda. Essa é uma eleição  que ele não pode perder.

Queridinhos – Se para estadual, o deputado Anísio Maia (PT) está no pódio da preferência do prefeito Luciano Cartaxo, o vereador Bira Pereira (PT) é o mais afagado pra deputado federal.

Casadinha – No Sertão, Luciano tem fechado vários apoios para a candidatura do irmão, Lucélio Cartaxo (PT), ao Senado, e, paralelamente, insere Bira Pereira nas negociações.

Confessionário – Os deputados Frei Anastácio (PT) e o padre Luiz Couto (PT) andaram orando, em conversa bem reservada, sobre o atual quadro interno e os rumos do PT da Paraíba.

Livro… – Do insuperável Heraldo Nóbrega: ex-prefeito de Livramento, Zé Papé acusa, por escrito, a ocupante do cargo, Carmelita Ventura, de timbrar uma malsinada invasão…

…Aberto – …“Feita recentemente por afilhados dela”, de conjunto habitacional em construção.
Aliás, Papé, já rasgou o véu na eleição: faz um X em Cássio e outro em Maranhão.

PINGO QUENTE “Ricardo consegue pegar um problema e aumentar”. Do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), criticando o estilo do seu adversário, o governador Ricardo Coutinho (PSB).

*Reprodução do Correio da Paraíba.

Leia Também