João Pessoa, 09 de setembro de 2015 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
200 quilos

Professor sai ileso após árvore cair sobre carro em São Paulo

Comentários:
publicado em 09/09/2015 às 17h17
A- A+

Um professor universitário de geografia saiu ileso depois que o veículo em que estava foi atingido por uma árvore na manhã desta quarta-feira (9), em Salto (SP). Segundo o Corpo de Bombeiros, a árvore tinha aproximadamente 200 quilos. De acordo com a Defesa Civil, 12 árvores caíram com a chuva e a estação de monitoramento climático da cidade registrou 50 milímetros de chuva em 24 horas.

Em entrevista ao G1, Edson Freitas conta que tinha acabado de estacionar o automóvel na frente do centro universitário onde trabalha quando ouviu o estrondo dos galhos na lataria.

“Eu tinha acabado de estacionar e vi que vários alunos estavam assustados e tinham atravessado correndo. Só percebi que a árvore tinha caído em cima de mim quando atingiu o vidro da frente. Apesar de não conseguir sair sozinho, não tive nenhum ferimento, o que surpreendeu até os bombeiros”, comenta o professor.

Ainda conforme os bombeiros, a árvore que caiu tem mais de 2 metros de altura, pesa aproximadamente 200 quilos e interditou a rua na frente do centro universitário por algumas horas. “Era uma árvore muito grande que com certeza estava podre, e caiu após a chuva de terça-feira. Tive perda total no veículo, mas escapei de uma tragédia. É o que importa”, diz Edson.

Chuva e espuma preta
As fortes chuvas que atingiram a região de Sorocaba na terça-feira (8) fizeram a espuma do rio Tietê transbordar no trecho que passa pela cidade de Salto. A avenida Castro Alves, próximo ao complexo da cachoeira, ficou interditada. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, a formação de espumas, como ocorre frequentemente no Tietê ao longo das cidades de Santana de Parnaíba, Salto e Pirapora do Bom Jesus, é reflexo da poluição despejada no rio.

De acordo com a prefeitura, parte da avenida Castro Alves está interditada, na altura da ponte. “O rio está com muita vazão e houve alteração na cor da água, provavelmente muito por conta da chuva em São Paulo também”, disse a assessoria de imprensa. Conti explica que a água passa bem rente à ponte, que acaba sendo invadida pela espuma do rio Tietê. “Acho que a quantidade de espuma ainda pode aumentar quando a água da chuva que caiu na capital começar a chegar aqui na região”, diz.

O acumulado de chuvas nos primeiros oito dias de setembro atingiu 65% do esperado para todo o mês na região de Sorocaba (SP), de acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Foram registradas desde a última terça-feira (1º) 47,6 milímetros de precipitação, volume que representa mais da metade dos 72,2 mm esperados para setembro.

G1

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também