João Pessoa, 05 de janeiro de 2010 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O PT pode ficar com o osso da sopa

Comentários:
publicado em 05/01/2010 às 00h22

O Partido dos Trabalhadores na Paraíba aproveita o quanto pode cada segundo da maravilha de ser governo. Nunca os militantes petistas estiveram tão prestigiados por um governante.

Com Luciano Cartaxo na vice, a bancada estadual (Jeová e Rodrigo) bem acomodada com aliados e correligionários espalhados em cargos, o PT chegou ao oásis acalentado por anos a fio.

Apesar da fartura para compensar décadas de "seca", o partido pode viver um dilema quando junho chegar.

O fato é que o cenário mostra a possibilidade real da legenda da estrela vermelha apenas bater palma para o PMDB na eleição vindoura.

Internamente, o governador trabalha com todas as forças para convencer Veneziano Vital do Rêgo ser candidato a vice.

Seria a única forma de vincular nome do prefeito e a cidade de Campina Grande a chapa encabeçada por Maranhão.

Se o "cabeludo" topar, o PT entra em maus lencóis. Perde de cara a vice.

E quem entre os bravos petistas toparia disputar uma vaga de senador, tendo no embate nomes como Ney Suassuna, Efraim Morais, Cássio Cunha Lima e Wilson Santiago, por exemplo?

O partido não dispõe hoje de quadros com topete eleitoral para enfrentar páreo tão duro.

E o que restaria ao partido nessa conjuntura? Uma suplência ou então o contentamento em compor um virtual Maranhão IV.
 

Leia Também